Internacional

Mata namorado à facada e recebe pena mais leve por ser “demasiado inteligente”

Em dezembro de 2016, a estudante atacou o namorado com uma faca de cortar pão, um computador, um copo e um frasco de compota.

Lavinia Woodward, uma estudante de Medicina de 26 anos, da Universidade de Oxford, esfaqueou o namorado em dezembro de 2016. Thomas Fairclough, que morreu devido aos ferimentos graves, conheceu Woodward na aplicação Tinder.

Em causa está o alcoolismo da estudante, fator que levou Fairclough a contactar a mãe da mesma. Quando a aspirante a cirurgiã cardiotorácica se apercebeu do sucedido, atacou o namorado com uma faca de cortar pão, um computador, um copo e um frasco de compota.

Em 2017, a jovem foi condenada a dez meses de prisão e a uma suspensão de 18 meses do Ensino Superior. Contudo, é sabido que o juiz Ian Pringle, que teve em mãos o caso, acreditou que se fosse presa, “a carreira de Woodward enquanto cirurgiã estaria em risco” e devia estar em liberdade por ser "demasiado inteligente". A alegada criminosa acabou por abandonar a faculdade em setembro passado.

Como móbiles do crime, em julgamento, os advogados da aspirante a médica apontaram o seu “passado turbulento”, a toxicodependência e os ex-namorados abusivos. “Peço que haja procedimentos excecionais porque ela é um caso excecional” disse Jim Sturman, advogado de defesa da suposta homicida, em tribunal.

De acordo com o Daily Mail, Woodward voltou a encontrar o amor com Philip, filho do bilionário russo Konstantin Kagalovsky. O companheiro da arguida tem 21 anos e já compraram um apartamento, em Londres.