Internacional

Enfermeiro alemão condenado a prisão perpétua pela morte de 85 pacientes

Niels Högel é considerado o maior criminoso alemão desde o final da Segunda Guerra Mundial pela quantidade de mortes que cometeu. 

Niels Högel, cconhecido entre os colegas como o “Rambo das Ressucitações” e considerado o maior criminoso alemão desde o final da Segunda Guerra Mundial foi condenado na passada quarta-feira pela morte de 85 dos seus pacientes. O enfermeiro injetava drogas letais nos doentes, que os fazia entrar em paragem cardíaca, para depois os tentar reanimar para receber “comentários positivos” e ser considerado um herói.

Os crimes ocorreram em dois hospitais alemães, o de Oldenbourg e Delmenhorst, entre 2000 e 2005. Segundo declarações de um ex-colega do enfermeiro, Högel queria sempre ficar sozinho na sala com o paciente.

Em 2015 foi apanhado pelos colegas do hospital de Delmenhorst a injectar um dos pacientes com uma seringa e foi condenado a prisão perpétua por três mortes, no entanto, os procuradores acabaram por concluir que o número era bastante superior e o homem de 42 anos foi condenado pela morte de 85 pessoas.

Em tribunal, o acusado confessou ter assassinado 43 pessoas mas diz não se lembrar dos outros 52 casos. Depois de ouvir os familiares das vítimas falar sobre o sofrimento que o enfermeiro lhes infligiu, Hogel pediu desculpa pelas mortes.

Mas a verdade é que os colegas de prisão afirmam que Högel não se sente mal com o que fez. Segundo declarações dos colegas de prisão do homicida ao jornal Bild, Högel sente-se satisfeito por ser considerado o maior criminoso desde a segunda guerra mundial na Alemanha.