Sociedade

Relação de Lisboa decide manter Rui Pinto em prisão preventiva

O hacker português, de 30 anos, está indiciado de seis crimes


Rui Pinto, o alegado hacker do Benfica, vai continuar em prisão preventiva. A decisão foi decretada esta quinta-feira pelo Tribunal da Relação de Lisboa.

Segundo o Expresso, os juízes decidiram manter o suspeito preso por existirem “perigos de fuga, de continuação de atividade criminosa e de perturbação do decurso do inquérito” e “só a medida detentiva aplicada se revela ser a adequada”.

O hacker português, de 30 anos, está indiciado de seis crimes -  dois de acesso ilegítimo, dois de violação de segredo, um de ofensa a pessoa coletiva e outro de extorsão na forma tentada.

Rui Pinto foi detido na Hungria e em março foi extraditado para Portugal, encontrando-se em prisão preventiva desde então.