Sociedade

Reunião com ministra foi "uma mão cheia de nada". Médicos mantêm greve

"Foi uma mão cheia de nada", afirmou Sindicato Independente dos Médicos sobre reunião

Depois de se terem reunido com Marta Temido, ministra da Saúde, os sindicatos dos médicos vão manter a greve de dois dias marcada para o início do próximo mês.

Em declarações aos jornalistas, Roque da Cunha, secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), classificou a reunião como "uma mão cheia de nada".

"Não há razão para desconvocar a greve", disse Roque da unha, completndo que "tal como aconteceu nos últimos quatros anos, o processo negocial com o Ministério da Saúde foi uma mão cheia de nada".

Também João Proença, presidente da Federação Nacional dos Médicos (FNAM) não ficou satisfeito com a reunião, afirmando que a ministra não se mostrou flexível quanto às reivindicações do setor.

A próxima reunião entre a tutela e as estruturas sindicalistas está agendada para depois da greve - que decorrerá entre dois e três de julho.