Sociedade

Contrafação lesa Estado 1,15 milhões de euros todos os anos

"As autarquias também têm o papel na luta contra o crime de contrafação”

A contrafação lesa o Estado em 1,15 milhões de euros todos os anos, revelou hoje em Famalicão o inspetor-geral da ASAE, Pedro Portugal Gaspar. Desde 2014 já foram apreendidos seis milhões de artigos contrafeitos, no valor de 22 milhões de euros.

O inspetor falava no Dia Mundial Anti Contrafação, assinalado em Famalicão, numa conferência na Casa do Território, onde esteve presente a cúpula nacional da luta contra este flagelo.

Vestuário, calçado e acessórios são os mais visados neste mercado, mas há ainda o caso dos cosméticos que representa uma perda de 15,1% nas vendas deste setor, segundo foi revelado na conferência.

Pedro Portugal Gaspar disse “haver novas realidades emergentes e o digital começa cada vez mais a ser um veículo de bens deste fenómeno crescente, o que é um desafio, até ao nível da cooperação transfronteiriça”.

Organizada em parceria com a startup tecnológica famalicense Monttra, uma empresa que querer revolucionar o controlo das contrafações, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha disse ainda que “as autarquias também têm o papel na luta contra o crime de contrafação”, afirmando que “temos que centrar as nossas atenções na sensibilização. Temos que fazer mais do ponto de vista da informação ao consumidor”.