Sociedade

Greve da TST regista 95% de adesão antes de ser cancelada

Trabalhadores reinvindicam aumentos salariais


No primeiro dia de greve dos trabalhadores da Transportes Sul do Tejo (TST), agendada para esta terça e quarta-feira, houve uma adesão de 95% por parte dos trabalhadores.

"Os autocarros não fazem a ligação a Lisboa e também entre as localidades de todo o distrito de Setúbal, onde opera a TST. Andam aí meia dúzia de motoristas a trabalhar, que são os que são contratados a prazo e que entraram recentemente", contou João Saúde, da Fectrans – Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações, à Lusa.

“A greve está a decorrer nos mesmos moldes que as anteriores, com uma adesão de 95% dos trabalhadores à luta", referiu

Entretanto, os trabalhadores da TST suspenderam a greve de 48 horas, tendo chegado a um acordo com a empresa.

O objetivo dos trabalhadores passa pelo aumento salarial para 750 euros. Consoante a nova proposta apresentada, no plenário que começou às 10h30, existe a possibilidade de a "greve de amanhã ser levantada", referiu João Saúde, o que veio a acontecer.

Durante o mês passado, houve uma proposta, por parte da administração, para aumentar o salário para 685 euros, implementando um sistema de folgas rotativas, o que não foi suficiente para os trabalhadores, refere o Diário de Notícias.

Mais de 200 motoristas da empresa encontram-se em Almada, distrito de Setúbal, em protesto.