Sociedade

ANMP defende o aproveitamento de terras abandonadas

Prevenir incêndios em época de verão é um dos fatores que fortalece a importância desta medida

ANMP defende o aproveitamento de terras abandonadas

O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Manuel Machado, defende a criação de políticas públicas para que exista um aproveitamento de terras abandonadas.

Aproveitar as terras abandonadas nos mais diversos municípios surge como que um tema fulcral para a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), que apelou a todos os partidos, esta quarta-feira, que “observem o problema [das terras abandonadas] sob este ponto de vista, que é o de se poder dar, desta forma, um contributo para a segurança e proteção civil das comunidades”.

Este apelo surgiu após uma reunião do Conselho Diretivo da associação, em Coimbra. “É necessário criar políticas públicas que induzam a economia no território, de modo a que as terras que são abandonadas possam ser aproveitadas”, referiu o presidente da ANMP, Manuel Machado.

Prevenir incêndios em época de verão é um dos fatores que fortalece a importância desta medida.

“Há situações em que os donos [de terras] não sabem que são donos ou não têm condições para tomar conta da gestão das suas propriedades”, afirmou, reforçando que “as terras são bem importantes”, sendo “útil que sejam produtivas”. “A tomada de posse pelo Estado das terras abandonadas é, a nosso ver, uma questão muito, muito importante”, referiu.

Existem “muitos hectares, milhares e milhares de hectares de terras que estão abandonadas”, o que preocupa Manuel Machado, reforçando o facto de que é extremamente necessário tomar medidas para que exista um bom aproveitamento das mesmas. 

Os comentários estão desactivados.