Internacional

Londres assinou extradição de Assange para os EUA

Julian Assange tem, esta sexta-feira, uma audiência preliminar do processo de extradição, em Londres.

O ministro do Interior britânico, Sajid Javid, fez saber, esta quinta-feira, que já assinou o pedido de extradição do fundador do Wikileaks Julian Assange para os Estados Unidos.

"Ontem [quarta-feira] assinei e certifiquei a ordem de extradição que vai ser apresentada ao tribunal amanhã [sexta-feira]", disse o ministro à BBC Radio 4, sublinhando que agora cabe ao tribunal "a decisão final".

O veredicto do tribunal só deverá ser conhecido dentro de vários meses, e ainda assim é o governo quem tem a última palavra, pois pode decidi aplicar ou não a decisão judicial.

Recorde-se que Julian Assange, de 47 anos, é acusado de duas dezenas de crimes pelos EUA. O fundador do Wikileaks recusa a extradição, sublinhando que os seus atos "protegeram muitas pessoas".

Em causa estão acusações de espionagem e de divulgação de documentos diplomáticos e militares confidenciais, no total os crimes são puníveis até 170 anos de prisão, segundo o Washington Post.

Assange foi condenado a 1 de maio, a 50 semanas de prisão por ter violado as condições de liberdade condicional em 2012, ao ter pedido refúgio na embaixada do Equador em Londres, evitando assim a extradição para a Suécia, país onde estava acusado de crimes sexuais.

Foi na Embaixada do Equador em Londres que Assange passou os últimos sete anos, até que lhe foi retirada a proteção diplomática – pelo próprio Presidente – e acabou por ser detido pela polícia britânica.