Internacional

Pensava que ia viver a maior aventura da sua vida. Acabou acorrentada numa pocilga

“Fui sequestrada no sul da Austrália. Por favor, estou numa quinta em algum sítio. O meu raptor conduz uma pick-up vermelha. Ajudem-me. Estou cheia de medo, por favor!” enviou Davine Arckens a familiares e amigos.

Davine Arckens, de 26 anos, inscreveu-se no site de anúncios Gumtree em fevereiro de 2017. Com o objetivo de se mudar da Bélgica para a Austrália, começou a conversar com o agricultor Gene Charles Bristow, de 54 anos, que a persuadiu a viajar até à sua propriedade em Meningie, a 140km de Adelaide. Com o pensamento de que faria trabalhos típicos de uma quinta, Arckens permitiu que Bristow a fosse buscar a uma paragem de autocarros em Murray Bridge, sendo que demoraram duas horas a chegar ao local designado.

De acordo com o site news.com.au, o percurso desorientou a jovem, até porque foi necessário embarcar em dois ferries distintos para chegar “ao meio do nada”, tal como foi descrito por Arckens. Quando chegaram à quinta, o homem ordenou que a rapariga entrasse numa pocilga, se descalçasse e mostrasse os pés – segundo o criminoso, já havia tido problemas com empregados que consumiam estupefacientes e queria verificar se Arckens tinha “marcas de seringas”.

“Estava nervosa e ele ameaçou-me com uma arma. Pensei que tudo acabaria ali” admitiu a belga durante uma entrevista com a jornalista Tara Brown no programa norte-americano 60 Minutos. Sublinhe-se que Bristow manteve a presença da viajante secreta, não a revelando à mulher nem ao filho que viviam na casa de família a poucos metros. O homem confessou a Arckens que trabalhava com “um grupo especializado em rapto, que incluía membros das autoridades”.

É de salientar também que o raptor abusou sexualmente da vítima, “prendendo as mãos da mesma com abraçadeiras, os pés com correntes, despindo-a e violando-a múltiplas vezes” como foi explicado em tribunal e adiantado pela Sky News. Durante o programa da emissora CBS, Arckens esclareceu que Bristow lhe retirou todos os pertences excetuando um: uma mala onde tinha o iPad e um dispositivo hotspot através do qual teve acesso à internet.

Deste modo, enviou a mesma mensagem a amigos e familiares quando o agricultor a deixou sozinha: “Fui sequestrada no sul da Austrália. Por favor, estou numa quinta em algum sítio. O meu raptor conduz uma pick-up vermelha. Ajudem-me. Estou cheia de medo, por favor!”. Echo Wang estava em Queensland e pediu mais indicações à amiga. Contudo, esta perdeu a conexão e tomou a “decisão agonizante” de se acorrentar novamente.

Wang contactou as autoridades, que agiram em 10 minutos. Ao utilizar o sinal do telemóvel da vítima, a polícia foi capaz de identificar uma área específica para iniciar a investigação. No entanto, Bristow libertou a jovem, levou-a a Murray Bridge, pagou-lhe um quarto num motel e fugiu. “Senti-me completamente impotente, como um animal ou uma escrava” disse a belga em março, durante o longo julgamento.

Bristow foi acusado, em março, de um crime de sequestro agravado, quatro de abuso sexual e um de tentativa de violação e passará 18 anos de prisão.