Desporto

Copa América. Uruguai atira Chile para confronto com a Colômbia de Queiroz (com vídeo)

Seleção celeste venceu os bicampeões em título por 1-0, num encontro que ficou marcado pela agressão de Jara a um adepto uruguaio e pelo pedido de penálti de Suárez por mão na bola... do guarda-redes chileno

Estão definidos os confrontos dos quartos-de-final da Copa América, com destaque óbvio para um embate entre dois candidatos ao título: o Chile, bicampeão em título, irá defrontar a Colômbia, orientada por Carlos Queiroz. O destino chileno ficou decidido na última madrugada com a derrota por 1-0 contra o Uruguai, que assim terminou no primeiro lugar do grupo C, tendo agora pela frente o Peru, terceiro do grupo A.

A seleção celeste esteve sempre por cima na partida, ameaçando por Cavani, Suárez ou mesmo os dois centrais, Giménez e Godin, ambos muito perigosos nas bolas paradas (o sportinguista Coates voltou a começar no banco, sendo lançado aos 90'+2'), mas só chegou ao golo do triunfo a oito minutos dos 90, com o suplente Jonathan Rodríguez, que passou quase incógnito pelo Benfica entre 2014 e 2016, a cruzar para o cabeceamento certeiro de Cavani.

 

 

O encontro ficou marcado por dois episódios bastante caricatos. Primeiro, com Luis Suárez como protagonista: ao minuto 22, o avançado uruguaio isolou-se, contornou o guarda-redes chileno e atirou para a baliza. Gabriel Arias acabou, ainda assim, por conseguir desviar a bola para a linha de fundo. Até aqui tudo bem... não fosse o pedido instantâneo de Suárez de mão na bola e consequente penálti! O atacante do Barcelona rapidamente percebeu, todavia, que o protesto não se adequava à situação.

 

 

Já no último quarto de hora, outra situação insólita, agora protagonizada por um chileno: o defesa Gonzalo Jara, já um habitué destas situações, e quase sempre em duelos com o Uruguai - da mão nos genitais de Suárez em 2013 ao dedo enfiado no rabo de Cavani na edição de 2015 desta mesma Copa América...

Desta feita, Jara resolveu "intercetar", mais propriamente com uma rasteira, um adepto uruguaio que havia invadido o relvado e fugia às forças de segurança. Os jogadores do Uruguai não gostaram e protestaram com o árbitro... que não aplicou qualquer sanção disciplinar ao defesa chileno.

 

 

No outro jogo do grupo, discutia-se ainda a possibilidade de apuramento para Japão ou Equador: quem vencesse a partida acabava como um dos melhores terceiros, superando os dois pontos do Paraguai no grupo B. Japoneses e equatorianos, todavia, não foram além de um empate (1-1) e disseram ambos adeus à competição, permitindo aos paraguaios marcar encontro com o Brasil nos quartos-de-final.

O tento japonês surgiu logo aos 15' e pertenceu a um velho conhecido do futebol português: Nakajima, ex-jogador do Portimonense, aproveitando um mau alívio do guarda-redes adversário. Os sul-americanos chegariam ao empate 20' depois, por Mena, e o resultado não mais se alterou, apesar das várias oportunidades criadas pelas duas equipas.