LifeStyle

Belcanto de Avillez é o 42º melhor restaurante do mundo

O restaurante francês Mirazur foi considerado o melhor restaurante do mundo, a seguir surge Noma e em terceiro o Asador Etxabarri.

O restaurante francês Mirazur foi considerado o melhor restaurante do mundo. Já o Belcanto de José Avillez passou a integrar o ranking dos 50 melhores, passando de 75.º para 42.º lugar e foi apresentado como o restaurante que mostra as cores verdadeiras da culinária de Lisboa. O anúncio foi feito na gala dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo (’The World’s 50 Best Restaurants’), numa cerimónia em Singapura.

“É uma grande honra receber esta distinção; é uma distinção para a equipa, uma equipa muito grande que trabalha todos os dias para sermos melhores”, disse o chefe português à Lusa, acrescentando que o prémio “é para o Belcanto”, mas também para “a gastronomia portuguesa, para Lisboa, para pôr a gastronomia [portuguesa] no mapa. 

Mirazur (Menton, sul de França) que agora lidera a tabela ocupava, no ano passado, a terceira posição. Há 10 anos que figura na lista dos 50 melhores e ganhou recentemente a terceira estrela do guia Michelin. A organização destaca a sua “equipa de cozinheiros escandalosamente talentosos”, liderada pelo argentino Mauro Colagreco.

Em segundo lugar surge o Noma, agora com uma nova localização, na ilha de Refshalevej, na capital dinamarquesa, depois de ter liderado a lista por quatro vezes (2010, 2011, 2012 e 2014). “O Noma original foi, sem dúvida, um dos restaurantes mais importantes da sua geração. Com a sua comida, René Redzepi desenvolveu um novo género de cozinha”, revelou a organização, na descrição da lista dos premiados.

O Asador Etxabarri (Axpe, norte de Espanha) ocupa o terceiro lugar e, segundo a organização, o chefe Victor Arguinzoniz “tem a notável capacidade de obter sabores explosivos de ingredientes aparentemente simples, a maioria dos quais grelhados”.

A escolha dos melhores restaurantes do mundo faz-se, todos os anos, desde 2002, contando com os contributos de mais de mil especialistas em gastronomia e procura “revelar alguns dos melhores destinos para experiências culinárias únicas, além de ser um barómetro para tendências gastronómicas globais”, segundo os promotores da lista dos 50 melhores restaurantes da lista.

No entanto, como este ano o patrocinador desta iniciativa é a água S. Pellegrino e Acqua Panna, que celebra 120 anos de vida, a lista passou a ter 120 restaurantes em vez dos habituais 100. A par disso, surgiu uma nova categoria: Best of the Best (os melhores dos melhores). O objetivo é deixar espaço para que os primeiros lugares não sejam sempre ocupados pelos mesmos. Assim lá surgem, por exemplo, o El Bulli, The Fat Duck e o El Celler de Can Roca, o Noma original, entre outros.