Sociedade

Piloto detido na Líbia afinal não é português

O autodenominado Exército Nacional da Líbia, declarou, no passado mês de maio, ter abatido um avião, leal ao Governo de Acordo Nacional, na região de al-Hira, perto de Gharian que estava a ser pilotado por um mercenário que diz ter nacionalidade portuguesa.


O piloto detido na Líbia, acusado de agir como um mercenário, que afirmava ser português é na realidade um veterano da Força Aérea dos Estados Unidos, segundo o jornal Washington Post. O homem foi identificado como sendo Jamie Sponaugle, um homem de 31 anos, natural da Flórida. 

O homem já foi libertado e voou na terça-feira para a Arábia Saudita, para se reunir com funcionários consulares dos EUA e passar por um exame médico e psiquiátrico antes de regressar ao seu país. "Estamos sempre felizes em ver os norte-americanos mantidos em cativeiro no exterior a voltarem para casa, para os seus amigos e familiares", disse o embaixador Robert O'Brien. 

Recorde-se que o autodenominado Exército Nacional da Líbia, declarou, no passado mês de maio, ter abatido um avião, leal ao Governo de Acordo Nacional, na região de al-Hira, perto de Gharian que estava a ser pilotado por um mercenário que diz ter nacionalidade portuguesa.

Na altura, a Força Aérea Portuguesa esclareceu que Portugal não tem meios nem militares na Operação Sophia, no entanto, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, explicou que não se podia onfirmar a 100% que o homem que pilotava o avião abatido na Líbia fosse ou não de nacionalidade portuguesa.

 

 

Os comentários estão desactivados.