Internacional

Bernie Sanders quer eliminar a dívida estudantil

O candidato democrata quer cancelar 1,6 biliões de dólares de dívida estudantil.

 

O senador do estado de Vermont e candidato presidencial pelo Partido Democrata, Bernie Sanders, quer cancelar as dívidas de cerca de 45 milhões de cidadãos contraídas com o ensino superior, num total de 1,6 biliões de dólares.

 “Vamos tornar o financiamento da educação um direito humano”, anunciou Sanders aos repórteres na segunda-feira. 

A medida vai além da proposta da rival democrata, a senadora do Massachussetts Elizabeth Warren. O plano de Warren propõe o corte de 50 mil dólares a quem recebe menos de 100 mil dólares anuais. Para Warren, esta medida atenuaria a disparidade racial, um tema mais que controverso nos Estados Unidos. 

No entanto, a proposta do candidato que se diz socialista democrático permitiria o cancelamento completo da dívida estudantil logo que passasse no Congresso, e sem exceções. Sanders foi quem avançou com a ideia de tornar o ensino superior gratuito nas primárias do Partido Democrata em 2016. Para a corrida de 2020, muitos dos seus adversários adotaram medidas por ele avançadas nas últimas eleições, guinando à esquerda. 

Contudo, Sanders parece não querer ser ultrapassado pelos seus rivais e, por isso, com o apoio das representantes de Nova Iorque, Alexandria Ocasio-Cortez, e Ilhan Omar, do estado do Minnesota, avançou com uma medida nunca antes proposta por um candidato com perspetivas de chegar à Casa Branca: o senador promete financiar a medida com impostos a Wall Street.

Sanders aparece em segundo lugar nas sondagens para as primárias do Partido Democrata, atrás de Joe Biden, antigo vice-presidente dos EUA durante a administração Obama.