Desporto

Liga Europa. AC Milan fora, Paulo Fonseca sorri

Os rossoneri foram castigados por incumprimento das regras de fair-play financeiro impostas pela UEFA

Costuma dizer-se que a sorte de uns é o azar de outros, e a Roma deve concordar ainda mais com o ditado depois da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) anunciada esta sexta-feira: o AC Milan foi excluído da Liga Europa na temporada 2019/20 por incumprimento das regras de fair-play financeiro da UEFA.

Os rossoneri não cumpriram as regras no período correspondido entre 2015 a 2017 e 2016 a 2018, o que fez com que a UEFA anunciasse a exclusão das competições europeias em novembro. O emblema de Milão ainda recorreu da decisão, que seria agora confirmada pelo TAD. "Apesar de triste porque os nossos adeptos não poderão ver a equipa nas competições europeias na próxima temporada, o clube reconhece e respeita o fair-play financeiro e reconhece que não tem outra opção a não ser aceitar as sanções enquanto procura trilhar um caminho de volta ao cumprimento total das regras. O atual acionista maioritário assumiu o clube em julho de 2018, herdando perdas acumuladas substanciais após o proprietário anterior do AC Milan não cumprir com obrigações de débitos. Essas perdas e a violação do fair-play financeiro são lamentáveis e uma infeliz consequência das ações do proprietário anterior", frisou a direção em comunicado.

Quem sorri é a Roma de Paulo Fonseca, que agora ocupará a vaga na fase de grupos da Liga Europa deixada pelo Milan. Os giallorossi terminaram a Serie A no sexto lugar, posição que os obrigava a entrar em ação logo na segunda ronda de qualificação. Também o Torino, sétimo na última liga italiana, esfrega as mãos: vai assim disputar a segunda pré-eliminatória, participando nas provas europeias pela primeira vez desde 2014/15.