Politica

CDS pede explicações sobre tempo de resposta do INEM

Os centristas pedem explicações na sequência da notícia avançada pelo Jornal de Notícias, ontem, que informava que, em junho, os tempos médios de atendimento no INEM aumentaram.

O CDS exigiu explicações sobre a "situação preocupante" referente ao tempo de resposta de chamadas de emergência do INEM. 

"Nós não estamos descansados nem percebemos como é que a tutela pode estar descansada", disse a deputada centrista Ana Rita Bessa, em declarações à agência Lusa. 

Após o Jornal de Notícias ter avançado ontem que, em junho, o tempo de resposta médio em Portugal vai dos seis aos oito minutos, o CDS apontou que os "tempos recomendados" para assegurar as chamadas são de "sete segundos". 

Perante a situação, o partido liderado por Assunção Cristas notou que a capacidade de atendimento em tempo útil do INEM está "comprometida", sublinhou Ana Rita Bessa. 

Apesar da deputada ter declarado que o CDS compreende que é preciso tempo para a contratação de pessoal, Ana Rita Bessa recordou que este não é um problema recente. Em 2017, o INEM foi chamado do Parlamento e o "tempo médio era de 2,7 minutos", o que "em si já era preocupante". Em dois anos, "aparentemente, não houve melhoria", destacou a centrista.