Politica

“Estou de consciência tranquila” afirma Alexandre Gaudêncio após buscas domiciliárias

O líder do PSD Açores é suspeito de vários crimes: prevaricação, falsificação de documento e peculato

Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, nos Açores, foi alvo de buscas na sua residência. De acordo com uma nota publicada no site oficial da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), investigam-se crimes de prevaricação, falsificação de documento e peculato no âmbito do processo de inquérito em que o social-democrata é arguido.

Para além de Gaudêncio, foram constituídos mais cinco arguidos. Está em causa a “violação de regras de contratação pública, com favorecimento de empresários e entidades de direito privado, bem como favorecimento de terceiros em processo atinente ao urbanismo e ordenamento do território”, como é possível ler na nota divulgada pela PGDL.

“Na impossibilidade de o fazer individualmente, agradeço as mensagens que tenho recebido” começou por escrever o líder do PSD Açores numa publicação da rede social Facebook, acrescentando: “Estou de consciência tranquila. Na minha vida particular, profissional e como político, procuro colocar todos os dias em prática os valores que meus pais me ensinaram (trabalho, humildade e respeitar sempre os outros)”. Gaudêncio rematou com “De joelhos perante Deus e de pé perante os homens, sempre” sendo que obteve mais de 150 comentários, maioritariamente, de cariz positivo.

No decorrer da operação, foi apreendido “um acervo considerável” de documentação física e eletrónica. A investigação está a ser liderada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Ponta Delgada com o auxílio da Polícia Judiciária.