Politica

CDS promete baixar o IRS às famílias portuguesas

Proposta no programa eleitoral do CDS prevê  "baixar em cerca de 15 por cento a taxa efetiva média de IRS até 2023", ou seja, uma redução de 3, 2 mil milhões de euros.

O programa eleitoral do CDS vai incluir a promessa de baixar o IRS às famílias portuguesas. O compromisso prevê baixar "em cerca de 15 por cento a taxa efetiva média de IRS até 2023", ou seja descer em 2 pontos percentuais a taxa média deste imposto pago pela maioria das famílias.

Os centristas têm divulgado uma medida do programa eleitoral por semana e, no capítulo de política fiscal, apresentam contas sobre a poupança da descida da carga fiscal. Num agregado que ganha 1000/mês a poupança pode chegar aos 380 euros pela redução "efetiva de 2 pontos percentuais" na taxa aplicada. Para as famílias que ganhem 2 mil euros mensais a poupança pode chegar aos 530 euros.

De acordo com o CDS esta redução será alcançada através das alterações das taxas de imposto, revisão do regime de deduções, com ajustamentos de escalões de IRS. A medida tem um custo de 3, 2 milhões de euros até 2023, e segundo o CDS, a proposta seria financiada pelo excedente orçamental previsto no Programa de Estabilidade do Governo, entregue em Bruxelas, com uma previsão a quatro anos.

"Esse excedente é dos portugueses não é de Mário Centeno", avisou esta quinta-feira a líder do CDS, Assunção Cristas.

Além disso, os democratas-cristãos já propuseram a descida de IRC, o imposto para as empresas, de 21% para 12, 5% num prazo de seis anos.