Sociedade

Detidos sete homens que roubavam talões de apostas ‘Placard’

Autodescreve-se como "o jogo que veio combater as apostas ilegais" mas, durante cinco meses, foi alvo de furto e criminalidade organizada

Sete homens foram detidos pela prática de crimes de roubo qualificado e criminalidade organizada. O Ministério Público requereu o seu julgamento e, de acordo com uma nota publicada no site oficial da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, “está suficientemente indiciado que, entre agosto de 2018 e Janeiro de 2019 os arguidos planearam e concretizaram a subtração de talões de registo de apostas ‘Placard’”.

Para a realização dos factos criminosos, os suspeitos dirigiam-se a estabelecimentos comerciais de Lisboa, registavam apostas do jogo - onde se pode apostar em modalidades como futebol, basquetebol e ténis e em camadas distintas -, sempre no valor de 800 euros e, de seguida, roubavam o talão e colocavam-se em fuga. Assim, obtinham os prémios resultantes das apostas sem proceder aos pagamentos. Quando pretendiam receber os prémios, “indicavam uma conta bancária de terceiro para onde o dinheiro seria transferido, repartindo depois entre todos o valor recebido”.

Três dos alegados criminosos encontram-se em prisão preventiva desde o passado mês de janeiro na medida em que se verificou a existência dos perigos de continuação de atividade criminosa e de perturbação da ordem e tranquilidade públicas. Caso os mesmos sejam condenados – a uma pena de prisão igual ou superior a três anos – o seu ADN será recolhido devido à “gravidade dos factos imputados”.

A investigação foi conduzida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Sintra com o auxílio da GNR.