Internacional

Caso MacKenzie Lueck: corpo de estudante universitária desaparecida foi encontrado num desfiladeiro

Ayoola Adisa Ajayi, de 31 anos, foi a última pessoa com quem Lueck esteve e acabou por ser detido no âmbito da investigação 

DR  

Mackenzie Lueck, de 23 anos, estudante de Enfermagem na Universidade do Utah, nos EUA,  desapareceu no passado dia 17 de de junho. A jovem norte-americana viajou até à cidade de origem, a Califórnia, para ir ao funeral da avó e quando regressou a Salt Lake City, nunca mais foi vista. Aliás, enviou uma mensagem à mãe por volta da 1h e explicou que estava a aguardar um Lyft (uma rede de transportes dos EUA semelhante à Uber).

Contudo, existem novos contornos daquele que, desde o início, se afigurava como um crime. O chefe da polícia de Salt Lake City, Mike Brown, avançou à CNN no último dia 5 de julho que os restos mortais de Lueck haviam sido descobertos dois dias antes no Logan Canyon, um desfiladeiro que atravessa as montanhas Bear River. “Foi assim o culminar deste trágico, trágico acidente e apesar de me sentir destroçado, sinto-me aliviado por termos recuperado o cadáver da Mackenzie” adiantou Brown à KSL-TV.

A 27 de junho, Ayoola Adisa Ajayi, de 31 anos, foi detido no âmbito da investigação ao desaparecimento daquela que viria a ser enfermeira. Na habitação de Ajayi, foram descobertos pertences da rapariga bem como tecido humano feminino que correspondia ao ADN da mesma. A verdade é que, poucos dias após do início do mistério, soube-se que Lueck tinha saído do aeroporto e apanhado um táxi até ao Hatch Park, localizado a vinte minutos do mesmo, sendo que se tinha encontrado com um indivíduo cuja identidade era desconhecida e entrado no carro da pessoa em questão.

“Os nossos detetives trabalharam ininterruptamente neste caso” explicou o chefe assistente Tim Doubt, que esclareceu que a polícia de Salt Lake City investigou arduamente até que as pistas os conduzissem à última pessoa com quem Lueck havia estado, como se pode ler no The Deseret News.

À CBS, um representante da família da vítima mortal avançou que uma das vertentes da vida de Lueck que está a ser profundamente investigada é a sua vida amorosa bem como a utilização de aplicações de encontros. Deste modo, os detetives estão a tentar compreender se a estudante tinha contas secretas nas redes sociais ou um segundo telemóvel através do qual comunicava com os pretendentes.

Sabe-se que Lueck morreu de hemorragia interna, consequência de um traumatismo contuso (quando um trauma é provocado com mais força e atinge os órgãos internos e não são visíveis quaisquer marcas na pele).

Ajayi está acusado dos crimes de homicídio qualificado, rapto, obstrução de justiça e profanação de cadáver.