Sociedade

Caso Mayorga. Procuradoria de Clark County iliba Ronaldo das acusações de abuso sexual

As acusações "não podem ser provadas para além de dúvida razoável"


“A 13 de junho de 2009, uma vítima do sexo feminino (“V”), contactou a polícia de Las Vegas e explicou que tinha sido abusada sexualmente. Membros das autoridades disseram-lhe para reportar o crime. Transportaram-na para o hospital para que os exames de violação fossem realizados” começa por explicitar o Ministério Público, através da procuradoria de Clark County, num comunicado divulgado esta segunda-feira nas redes sociais.

Segundo o procurador estadual Steven B. Wolfson, “as alegações contra Cristiano Ronaldo de ataque sexual não podem ser provadas para além de dúvida razoável” e, deste modo, as acusações que datam de há dez anos cairão porque não podem ser provadas.

Recorde-se que a norte-americana Kathryn Mayorga, de 34 anos, acusou o jogador Cristiano Ronaldo, da mesma idade, de a ter violado no hotel Palms, em Las Vegas, na noite de 12 de junho de 2009.