Sociedade

Homicida de Lousada era suspeito de violência doméstica e já havia ameaçado de morte o empregado

"Ele ficou em fúria ao saber da relação e disse que o ia matar a tiro"


Na última terça-feira, um homem, de 31 anos, matou um empregado a tiro, em Lousada, por desconfiar de uma relação entre este e a sua ex-companheira.

Segundo o Correio da Manhã, João Miranda, que agora está em prisão preventiva, já havia dito a vários familiares de Tiago Magalhães, a vítima mortal, de 26 anos, que o ia matar.

De acordo com o mesmo jornal, o suspeito estava revoltado depois de ter descoberto que a vítima mantinha uma relação com a sua ex-mulher, Daniela Pinto, de 30 anos, que também sofreu ferimentos.

"Ele ficou em fúria ao saber da relação e disse que o ia matar a tiro. Só falava nisso. Ainda o apanhou numa loja chinesa e deu-lhe dois murros, mas isso não lhe chegou", disse um familiar de Tiago Magalhães, em declarações ao Correio da Manhã.

João Miranda, padeiro de profissão, está agora indiciado por dois crimes de homicídio qualificado, um de forma consumada e outro na forma tentada.

Escreve o Correio da Manhã que o suspeito estava ainda a ser investigado por um crime de violência doméstica contra Daniela Pinto. Além disso, tinha cadrasto por um crime de ano e era arguido num outro caso por ter, alegadamente, incendiado a carrinha de um padeiro rival. Neste mesmo caso, Tiago Magalhães terá sido cúmplice.

A vítima mortal, que deixa um filho de 15 meses de uma anterior relação, era também investigada por violência sobre a ex-companheira, diz o mesmo jornal.

 

Os comentários estão desactivados.