Economia

Habitação. Amadora e Porto registam maior subida de preços

Preço das casas em Portugal aumentou para 1.011 euros por metro quadrado no primeiro trimestre deste ano. Amadora e Porto registaram aumento homólogo de 22,7% e 22% respetivamente.

O ritmo está mais lento mas o preço das casas em Portugal continua a aumentar. Apesar de Lisboa continuar a ser a cidade mais cara para se comprar casa em Portugal, Amadora e Porto foram os municípios onde o preço mediano registou um crescimento homólogo maior, com 22,7% e 22% respetivamente, entre o primeiro trimestre do ano passado e deste ano. Aliás, a cidade da Amadora foi a única a registar um aumento da taxa de variação homóloga (+2,4 pontos percentuais) face ao trimestre anterior.

Os dados foram ontem divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e revelam ainda que o preço mediano das casas subiu para 1.011 euros por metro quadrado no primeiro trimestre deste ano, o que significa que a variação homóloga do preço mediano de alojamentos vendidos em Portugal foi de +6,4%, uma vez que se fixava nos 950 euros por metro quadrado no primeiro trimestre do ano passado. Face ao trimestre anterior, o crescimento foi de +1,5%.

Assim, segundo o INE, Lisboa registou o preço mediano de vendas de habitação mais elevado do país, com 3.111 euros por metro quadrado. Com valores acima dos 1.500 euros por metro quadrado estão cidades como Cascais, Oeiras, Loulé, Lagos, Albufeira, Porto, Tavira, Odivelas, Lagoa, Funchal e Vila Real de Santo António.

Só em Lisboa, há três freguesias a registar um valor por metro quadrado superior a 4.000 euros: Santo António, Santa Maria Maior e Misericórdia. Ao contrário, a freguesia do Parque das Nações foi a única do concelho de Lisboa com uma evolução negativa do preço da habitação face ao período homólogo.

Mas no que diz respeito ao período homólogo, todas as cidades com mais de 100 mil habitantes registaram subidas nos preços. Além dos maiores crescimentos assinalados na Amadora e no Porto, destacam-se ainda Lisboa (+20,5%) e Braga (+18,2%).

O INE revela ainda que no primeiro trimestre deste ano, nas cidades de Lisboa, Porto, Funchal, Amadora e Coimbra, o preço de venda de alojamentos manteve-se acima do valor do país.

Tal como aconteceu com trimestres anteriores, a capital do país destacou-se por apresentar os preços da habitação mais elevados, entre as sete cidades com mais de 100 mil habitantes, em todas as classes de tipologia de alojamento consideradas.

Ainda no trimestre analisado, o gabinete de estatística garante que pela primeira vez desde o primeiro trimestre de 2016, os valores medianos de venda assinalados em Lisboa foram superiores a 3.000 euros por metro quadrado nas quatro tipologias de alojamento.

Em relação ao Porto, o INE revela que entre as sete freguesias da cidade, a que registou o preço mediano dos alojamentos vendidos mais elevado foi a União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, com 2.324 euros por metro quadrado.