Internacional

"Meninas, ele só quer ensinar-vos" afirma companheira de homem que abusava sexualmente das filhas

O casal preparava-se para o fim do mundo enquanto violava as filhas adotivas

Duas irmãs gémeas, de 22 anos, acusaram os pais adotivos de abuso sexual, agressões físicas e psicológicas. A informação foi avançada pelo Tallahassee Democrat, na medida em que os alegados crimes tiveram lugar na capital do Estado da Flórida, nos EUA. Mirko e Regina Ceska, de 58 e 55 anos, respetivamente, foram detidos no passado dia 12 de julho, duas semanas após as filhas terem encetado uma fuga da quinta da família e contactado as autoridades.

"As vítimas descreveram os pais como predadores do apocalipse que tinham propriedades com rações para seres humanos e armas por todo o país caso ocorresse uma calamidade" afirmou o xerife de Wakulla, citado pelo jornal norte-americano anteriormente referido, acrescentando que se preparavam "para um ataque nuclear da Coreia do Norte ou um furacão". Na residência dos Ceska, foram apreendidas 28 armas.

As jovens informaram a polícia de que eram forçadas a manter relações sexuais com Mirko e, caso se recusassem a fazê-lo, não tinham acesso a comida. A verdade é que pesquisas, na Internet, por "vídeos incestuosos" foram encontradas no telemóvel do agressor que proibia as ofendidas de ter amigos, telemóveis ou fazer algo tão simples como cumprimentar alguém na rua. Aliás, num dos vídeos desvendados pelas autoridades, é possível observar Mirko a gritar perto da cara das raparigas enquanto as acusava de roubar comida.

O advogado de defesa do casal, Don Pumphrey, explicou que as mulheres "inventaram as acusações" e acredita "que têm 22 anos mas muitos problemas". Mas, para as autoridades, as evidências sugerem outro tipo de conduta por parte do casal até porque as gémeas comportam-se como se tivessem 11 ou 12 anos: "ainda acreditam no Pai Natal" contou um investigador aos órgãos de comunicação locais.

Às autoridades, as gémeas descreveram alguma da violência que vivenciaram, especificando que acordavam diariamente pelas 5h30 para trabalhar e que começaram a ser violadas quando tinham 16 e 18 anos. "Pensávamos que, ao sermos adotadas, seríamos livres. Ganhámos novos nomes, pensávamos que tudo ficaria bem" disse uma das irmãs, sendo que a outra acrescentou: "Ele violáva-nos em frente da mulher e ela incentivava os abusos dizendo coisas como "'Meninas, está tudo bem, ele só quer ensinar-vos'".

Mirko está acusado dos crimes de abuso sexual de menores de que detinha a custódia, violação e contacto físico ilegal. Foi libertado sob uma fiança de 50 mil dólares (quase 45 mil euros). Por outro lado, Regina, que está igualmente em liberdade, foi acusada de ter negligenciado as filhas e de não ter reportado as suas perturbações de desenvolvimento cognitivo.

Contudo, parece que os Ceska ainda não estão livres de uma futura condenação. Ao Tallahassee Democrat, Brian Miller, procurador estatal, adiantou que foram apreendidos "alguns telemóveis, câmeras, discos, cartões de memória, DVDs, cassetes e vídeos" após as gémeas terem alegado que foram fotografadas e gravadas nuas. Preservativos, testes de gravidez e lençóis foram enviados para o laboratório de investigação criminal da Flórida para análise.