Economia

BCP. Lucro cresce 12,7% para os 169,8 milhões no primeiro semestre

Em comunicado, banco diz que lucro foi “impulsionado pela expansão dos proveitos core e pela redução das imparidades e provisões”.

O Banco Comercial Português (BCP) registou lucros de 169,8 milhões no primeiro semestre deste ano, o que representa uma subida de 12,7% face a igual período do ano passado, anunciou ontem a instituição bancária em comunicado, onde acrescenta que o crescimento foi “impulsionado pela expansão dos proveitos core e pela redução das imparidades e provisões”.

O BCP explica que esta evolução foi determinada pelo “bom desempenho” da atividade em Portugal, onde o resultado líquido evidenciou um crescimento de 23,2% face aos 59 milhões de euros alcançados no primeiro semestre de 2018, totalizando 72,7 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano.

A entidade bancária justifica este crescimento com a “evolução favorável das imparidades, quer no que respeita ao crédito, quer às outras imparidades e provisões”. Também a evolução do produto bancário foi um contributo significativo para a atividade em Portugal “com o aumento da margem financeira, dos outros resultados de exploração e dos resultados em operações financeiras”. De modo inverso, o crescimento do resultado em Portugal foi atenuado, garante o BCP, pela evolução dos custos operacionais e ainda pela redução dos resultados por equivalência patrimonial, face a igual período do ano anterior.

A atividade internacional registou um resultado líquido de 83,7 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, “devido essencialmente ao desempenho das operações na Polónia e em Moçambique”. 

O BCP informa também que a margem financeira alcançou os 740,1 milhões de euros, o que representa um aumento de 7,6% face ao período homólogo. Também aqui está representada a atividade em Portugal: “Devido maioritariamente ao desempenho favorável da atividade internacional, mas também à evolução positiva da atividade em Portugal”, destaca o banco.

Na conferência de imprensa de apresentação de resultados, Miguel Maya, presidente executivo do BCP, referiu que “a evolução da política monetária” teve um “grande impacto” no que diz respeito ao planeamento da atividade do BCP.

Lucros de 77,9 milhões na Polónia Já o banco BCP na Polónia fechou o primeiro semestre deste ano com lucros de 334 milhões de zlótis (quase 78 milhões de euros). Em comunicado, o BCP explica que “o resultado líquido no primeiro semestre de 2019 atingiu 334 milhões de zlótis, com um impacto líquido das imparidades iniciais do Euro Bank de 65 milhões de zlótis (15,2 milhões de euros)”.

Na mesma nota, o BCP explica que o resultado líquido, excluindo itens não habituais, atingiu os 411 milhões de zlótis, tendo aumentado 12% face ao mesmo período do ano passado.

No que diz respeito à margem financeira, esta aumentou 21,5% em termos homólogos. Excluindo o Euro Bank, aumentou 14,7% em termos homólogos, registando ainda um aumento de 4,7% face ao trimestre anterior.