Sociedade

Força Aérea inicia missão contra tráfico de pessoas no Mediterrâneo


Estão destacados 35 militares portugueses, tal como um avião P-3C
 
 

DR  


A Força Aérea Portuguesa (FAP) iniciou esta quinta-feira uma missão da União Europeia (UE) com o objetivo de combater a migração clandestina e tráficos de pessoas no Mediterrâneo.

Em comunicado às redações, a FAP informou que a sua equipa composta por 35 militares e um avião P-3C, ficará sedeada na base aérea de Sigonella, na Sicília (Itália). Irão integrar a Operação "Sophia", da força naval do Mediterrâneo da União Europeia (EUNAVFOR MED) até ao dia 29 de agosto.

Nesse mesmo comunicado, a FAP explica que a missão desta força destacada passa por patrulhar a "zona sul do Mediterrâneo Central, contribuindo para o desmantelamento de redes de introdução clandestina de migrantes e de tráfico de pessoas, visando acabar com a tragédia humana vivida".

Para além disso, o patrulhamento da aeronave P-3C tem o objetivo de "contribuir para a implementação do embargo de armas". Irá ainda recolher informações sobre "o contrabando de petróleo exportado ilegalmente, conforme previsto em resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas."

A zona alvo de vigia é frequentemente utilizada por migrantes clandestinos provenientes do Norte de África, que pretendem chegar à Europa. Nos últimos anos milhares de pessoas morreram nessa mesma zona.