Internacional

Mais de 600 detenções e espancamentos em Moscovo

As imagens mostram manifestantes a serem atacados pela polícia de choque enquanto estavam no chão. Mais uma vez são reprimidos protestos contra o impedimento de políticos opositores irem a votos.

A polícia russa deteve mais de 600 manifestantes este sábado, em Moscovo, que protestavam contra o facto de vários candidatos da oposição terem sido de concorrer às eleições locais, após a comissão eleitoral afirmar que as assinaturas obtidas não eram válidas. A polícia justificou as detenções por o protesto não ter sido autorizado - após as autoridades terem recusado o pedido dos organizadores para tal.

Vídeos mostram polícias, vestidos de preto e com equipamento antimotim, a espancarem com cacetes manifestantes caídos no chão e imobilizados. Um homem contou à Dozhd TV ter sido levado para fora de uma carrinha da polícia e espancado, por ter pedido a identificação dos agentes que o detiveram.

A polícia assegura que apenas 1500 pessoas estiveram presentes, enquanto os organizadores falam em 10 mil. As autoridades bloquearam a internet em boa parte da cidade e impediram o acesso à praça onde os manifestantes queriam marchar, usando um helicóptero para vigiar a situação. Lyubov Sobol, a única política da oposição impedida de se candidatar que ainda não tinha sido presa, foi detida ainda antes de chegar ao protesto. A opositora do Presidente russo, Vladimir Putin, está há três semanas em greve de fome.