Internacional

“Levei um tiro na cabeça”. Mulher ligou para o marido para lhe pedir para tomar conta dos filhos

Uma das vítimas do tiroteio de Dayton, Ohio, ligou para o marido a dizer que tinha sido atingida por uma bala pouco antes de morrer.

Dary Lee, pai das duas crianças de Lois Ogelsby, escreveu nas redes sociais que recebeu uma chamada da sua mulher de 27 anos pouco depois de ter sido baleada durante o tiroteio de Dayton, Ohio, Estados Unidos.

“Ela ligou-me do FaceTime e disse-me que tinha levado um tiro na cabeça”, escreveu o homem num post colocado no Facebook.

Lois Ogelsby, que era mais conhecida por Lola, tinha sido mãe da segunda filha apenas há duas semanas quando foi mortalmente atingida por um tiro disparado por Connor Betts, um estudante de psicologia com 24 anos, que também matou a própria irmã mais nova.

Lois tinha colocado algumas fotografias na última semana com a filha mais velha, de 6 anos, e com a filha recém-nascida de apenas duas semanas.

“A Lois despediu-se mim a dizer que me amava e a pedir para eu tomar conta dos nossos filhos”, disse, emocionado, Dary Lee.

Pelo menos nove pessoas foram mortas e 27 ficaram feridas no tiroteio de Dayton, no Ohio, na madrugada de domingo. O responsável foi Connor Betts, um estudante de psicologia de 24 anos. Betts estava mascarado e equipado com um colete à prova de bala, tendo aberto fogo com uma espingarda de calibre .223. Seria abatido pelas autoridades “em menos de um minuto”, à porta do bar Ned Peppers, em East 5th Street - uma zona popular pela sua vida noturna.