Tecnologia

Fenómeno Fortnite. Há jogadas que valem por tudo

Ver os filhos agarrados ao computador a jogar horas a fio é um pesadelo para muitos pais. Mas não para os pais de Kyle Giersdorf, que viram o filho ganhar 2,6 milhões de euros no primeiro campeonato mundial de Fortnite. O jogo, que é praticado por mais de 250 milhões de pessoas, tem virado moda - dentro e fora do ecrã - e tornou a palavra floss conhecida em todo o mundo. 

Com mais de 250 milhões de participantes em todo o mundo, o Fortnite tornou-se um dos jogos online mais populares do momento, só superado pelo Minecraft. E não é só a empresa que o desenvolveu que tem lucrado com tamanha adesão – alguns dos jogadores já viram o seu esforço e dedicação recompensados...

Depois de, ao longo de vários meses, cerca de 40 milhões de jogadores terem competido por um lugar na final, o primeiro torneio de Fornite juntou os melhores praticantes no Arthur Ashe Stadium, em Nova Iorque, no passado dia 28.
100 jogadores, com idades compreendidas entre os 12 e os 16 anos, oriundos de 30 países diferentes, disputaram prémios monetários de 30 milhões de dólares - o valor mais elevado na história dos jogos eletrónicos. Cerca de 16 mil pessoas assistiram ao vivo ao torneio. 

O Fornite pode ser jogado de dois modos. A versão Save the World é gratuita e a mais conhecida e gratuita. Mas, para encontrar o melhor jogador, foi escolhido o Battle Royal – a versão mais apreciada pelos ‘especialistas’.

O Fornite Battle Royal começa normalmente de forma mais pacífica. Depois de caírem de um autocarro mágico para um ilha, os jogadores têm de encontrar objetos que tornem os seus personagens mais fortes. Mas não devem distrair-se nem por um instante, pois a qualquer momento pode aparecer um dos restantes 99 jogadores, disparar e acabar com a vida do jogador online. Depois da primeira rodada, e à medida que os jogadores vão morrendo, o mapa começa a encolher e a tornar-se cada vez mais pequeno, com o aparecimento de uma tempestade. O desafio torna-se, a cada segundo que passa, mais e mais difícil para os praticantes.  Para se protegerem e manterem-se vivos, os jogadores devem permanecer na área protegida, o que obriga à aproximação e consequentemente ao confronto entre os adversários.

Kyle Giersdorf, um jovem de 16 anos com o nickname de Bugha, foi o jogador que teve uma melhor performance e se manteve mais tempo vivo. O adolescente acabou por ganhar a taça e levar para casa o prémio de três milhões de dólares (2,7 milhões de euros). Com 59 pontos, o jogador profissional impôs-se desde a primeira batalha e acabou por sagrar-se campeão do primeiro Mundial de Fortnite.  «Estou tão feliz. Tudo o que fiz até aqui valeu a pena. Isto é de loucos», disse o jovem à imprensa internacional, depois de receber o prémio.  Questionado sobre o que iria fazer com o dinheiro, Bugha admitiu não ter grandes planos. «Tudo o que eu quero é uma secretária nova e talvez também outra secretária para o meu troféu», confessou à BBC. 

No torneio de duplas, que ocorreu no passado dia 27, Emil Bergquist Pedersen e David W.Nyhrox ficaram em primeiro lugar e foram recompensados em 2,7 milhões de euros. Jaden Ashman e Dave John ficaram em segundo lugar no pódio. A dupla ganhou dois milhões de euros.

Durante uma entrevista, a mãe de Jaden admitiu que nem sempre apoiou o afinco com que o filho praticava o jogo. Jaden passa cerca de oito horas por dia a jogar, algo que a mãe considerava «uma perda de tempo». 

«Sou honesta, tenho sido bastante contrária a que ele jogue. Tenho tentado pressioná-lo a empenhar-se mais nas tarefas da escola. Na verdade, atirei uma Xbox fora, destruí uns auscultadores — passámos um pesadelo», confessou ao The Guardian. 

Segundo o jovem, nem sempre foi fácil dedicar-se a 100% ao jogo dada a falta de apoio dos familiares. Agora, tudo mudou. Com o passar do tempo, Jaden foi provando á mãe que ser jogador profissional pode trazer sucesso e estabilidade. Admitiu ainda à BBC já ter planos para o prémio de um milhão: poupar metade do valor e usar o resto para si e para a sua família. Mas mesmo para os que foram derrotados no início, a a participação no evento compensou. Cada jogador que conseguiu chegar ao lote dos 100 finalistas ganhou pelo menos 50 mil dólares.  

 

A moda do Fornite 

A moda do Fornite já saiu do pequeno ecrã e passou há muito para a vida real. Quem nunca viu, uma criança, um adulto ou até mesmo um jogador de futebol a abanar os braços de um lado para o outro?
A dança conhecida por floss, a dança do fio dental em português, é um dos movimentos feitos pelas personagens do jogo online para festejar uma vitória. Influencers e celebridades, como jogadores de futebol, usam-na em momentos especiais, como a celebração um golo. Mas também há anónimos que recorrem a ela para dançar numa sexta-feira à noite, em casa ou na discoteca. 

Origens

Apesar de ser uma invenção do youtuber Russel Horning, foi através do jogo online que a dança se tornou viral. A cantora Rihanna, o ator Millie Bobby Brown de Stranger Things, a apresentadora Ellen e a cantora Katy Perry foram algumas das personalidades que tentaram fazer a dança e partilharam o vídeo com os seus seguidores e fãs. Em Portugal, até a líder do CDS, Assunção Cristas, se rendeu à moda e dançou o floss ao lado de Filomena Cautela, no 5 para a Meia-Noite.

Danças

No entanto, não é apenas a dança do floss que está na moda. O Fortnite tem dezenas de danças à disposição, basta o jogador escolher. E na vida real também é assim. O jogador de futebol francês Antoine Griezmann foi um dos primeiros a aderir à moda do jogo e a passá-la para a vida real. O jogador admite adorar jogar Fortnite e no mundial de 2018 deixou os fãs em êxtase ao dançar o «Take the L» - cujo significado é ‘aceita a perda’ - para celebrar golos contra a Argentina e a Croácia. Também Usain Bolt utilizou uma das danças do jogo para celebrar o seu primeiro golo num campo de futebol. 

Celebridades

O Fortnite, lançado em setembro de 2017, está disponível para PC, Xbox, Playstion 4, dispositivos IOS e Nintendo Switch. Teve sucesso imediato. O facto de celebridades, como o cantor Drake e o ator Finn Wolfhard terem aderido rapidamente à febre do Fortnite tornou a divulgação muito mais rápida e aumentou a curiosidade entre os seus fãs, que rapidamente se juntaram à comunidade Fortnite.