Internacional

Condutor Uber fingiu ser namorado de passageira para a salvar de homem que a estava a assediar

“Isto nunca deveria ter acontecido. Homens, aprendam a aceitar a palavra ‘não’ como resposta"

Um condutor de uma plataforma eletrónica de transporte em veículos descaracterizados recorreu às redes sociais para partilhar como fingiu conhecer uma passageira para a salvar de assédio, em Illinois, nos Estados Unidos.

Brandon Gale, condutor Uber, começou por explicar no Facebook que recebeu um pedido de recolha de uma mulher junto a uma feira de diversões. Pouco depois de aceitar o pedido, a mulher enviava-lhe uma mensagem através da aplicação para que este fingisse ser seu namorado.

"Quando chegar aqui pode fingir que é meu namorado?", começou por pedir a passageira.

"Como assim?", questionou o condutor norte-americano

"Eu só preciso que finja que me conhece, e que não é um condutor Uber", respondeu-lhe.

Apesar de toda a situação parecer duvidosa, Brandon retirou a sinalização do carro que indicava que se tratava de uma plataforma de transporte e continuou para o local onde estaria a passageira.

“Quando cheguei ao local, estavam uma mulher e um homem a falar na entrada. A mulher era a minha passageira e agiu de imediato. Olhou e gritou: 'Hey, querido! Já vou!'. Não quis deixá-la pendurada, portanto gritei de volta: 'Fixe, estou cheio de fome!'. Acenei ao homem. Ele acenou de volta, com pouco entusiasmo", contou o motorista.

Só quando abandonaram o local no veículo é que a passageira conseguiu explicar a situação. A mulher tinha ido à feira de diversões com um grupo de amigos, do qual fazia parte um homem que se mostrou muito atrevido com ela e que, além de não aceitar “um não como resposta”, tinha “um historial de ser muito agressivo”.

"Ela pensou que ele a largaria quando ela se dirigisse para o seu carro, mas ele seguiu-a, justificando que era um cavalheiro. Antes de chegarem ao carro, ela fingiu que perdeu a chaves. Ele queria levá-la a casa, e foi aí que ela decidiu chamar o 'namorado'", contou Brandon.

O motorista justifica a partilha nas redes sociais como uma forma de sensibilizar alguns como para a aceitação do “não” como resposta.

“Isto nunca deveria ter acontecido. Homens, aprendam a aceitar a palavra ‘não’ como resposta. Aprendam a assumir responsabilidade das vossas ações. Os nossos filhos estão-vos a observar e eles estão a aprender como tratar as mulheres na sua vida através do exemplo”, escreveu.

O texto, partilhado no passado dia 31 de julho, conta já com milhares de ‘likes’ e de partilhas. Os comentários elogiam a postura do condutor.