Internacional

De "homem de negócios encantador" a agressor: mulher é espancada por encontro do Tinder

Alain descrevia-se como um homem que havia passado por três continentes, profissional e pai de uma menina de cinco anos

Karen Sadler, uma australiana natural da cidade de Perth, estava de férias em Ibiza quando conseguiu um match com um homem que considerava ideal: no perfil do indivíduo, podia ler-se que Alain tinha 48 anos, havia estudado em Harvard, desempenhava as funções de advogado, era um "homem de negócios encantador", gostava de passar o tempo livre em Ibiza entre viagens de negócios a Singapura e Hong Kong e tinha a custódia da filha de cinco anos. Deste modo, a mulher trocou algumas mensagens com o pretendente antes de marcar um encontro com o mesmo. 

"Fomos jantar a uma marisqueira e estava a correr tudo bem" explicou Sadler ao site news.com.au, acrescentando que estava surpreendida com aquilo que tinha "ouvido e visto". De seguida, o par foi até casa de Alain e quando a australiana se preparava para regressar ao hotel, pegando no telemóvel para chamar um táxi, iniciou-se um ataque brutal. Numa primeira instância, a vítima pensou que Alain se dirigia até si para lhe dar um beijo de despedida mas acabou por ser empurrada das escadas e espancada na cabeça. Sadler desmaiou e foi resgatada pelo condutor do táxi que a levou ao hospital, sendo que ficou com uma contusão e um corte no olho.

"Ele passou de incrível a Dr. Jekyll e Mr. Hyde [personagens de um livro de ficção científica e terror] num ápice" revelou ainda a ofendida que explicitou não "existirem sinais de que estava em perigo", contudo, agora compreende que é essencial manter-se em segurança quando viaja: "Não estava preparada para isto. Depois deste episódio, sei que tenho de ter a certeza de que as pessoas sabem onde estou e estar sempre em contacto com amigos e familiares", confessou. 

Curiosamente, uma das melhores amigas de Sandler, Stephanie Rodriguez, é a criadora da aplicação 'Wander Safe' destinada à prevenção de ataques violentos. Com funcionalidades como alertas de emergência, coordenadas de GPS e mensagens de voz, oferece às mulheres uma forma discreta e segura de "conseguirem ajuda quando mais necessitam". Ao news.co.au, Rodriguez declarou que conhece a vítima há 15 anos e, quando percebeu as consequências do ataque, sentiu-se devastada. "Falámos via Instagram e não consegui suportar as lágrimas. A tristeza invadiu-me porque sobrevivemos a dois casamentos péssimos e, agora, ela foi atacada desta forma".

O mesmo órgão de informação australiano contactou o Tinder e não obteve qualquer resposta, porém, o perfil de Alain foi eliminado da aplicação.