Internacional

Menina deficiente de 13 anos morre após ser deixada num carro durante horas pela mãe e pelo namorado

Criança foi declarada morta no local

Uma mãe e o seu namorado estão a ser acusados de homicídio depois de deixarem a filha de 13 anos com deficiência durante mais de duas horas num carro na tarde da última segunda-feira, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, acabando a criança por morrer.

Em comunicado, as autoridades informaram que receberam uma chamada para uma criança deixada num carro. Enquanto o alerta dava conta de que a criança foi encontrada fora do veículo, alguns meios de comunicação local informaram que a menina ainda estava no carro quando as equipas de emergência chegaram. A nota da polícia não explica como a criança poderá ter saído da viatura.

A estação de televisão WYFF avança que os suspeitos, Rita Pangalangan, de 49 anos, e Larry King, de 41 anos, tiraram a criança do carro ao perceberem que esta não estava a responder.

A menina acabou por ser declarada morta no local.

De acordo com a mesma estação televisiva, que cita um relatório policial, o casal é acusado de ter deixado a criança no carro intencionalmente. Os suspeitos alegam que verificaram duas vezes a menina antes de perceberem que as portas estavam trancadas e que, nesse momento, sairam para encontrar uma chave para abrir o carro. O casal afirma que quando voltou a criança estava morta.

Os relatórios acabaram por confirmar que a menina, identificada como Cristina Pangalangan, foi deixada no carro entre duas a cinco horas.

"Ela [mãe] foi uma das melhores professoras que eu já conheci. Honestamente, eu não entendo. Eu não entendo como uma criança pode ser deixada num carro, especialmente esta criança, com as necessidades especiais que ela tinha”, disse uma amiga da mulher, citada pelo live5news.

As autoridades ainda não revelaram por que acreditam que o casal deixou a criança deliberadamente no carro.