Sociedade

Greve dos motoristas confirmada. Pardal Henriques culpabiliza ANTRAM e Governo pelas "pequenas filas" já sentidas

Durante a conferência, o porta-voz do sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas criticou a atitude do Governo e defende que os serviços mínimos impostos "são uma violação do direito à greve". 

Pedro Pardal Henriques declarou esta quinta-feira, numa conferência de imprensa, que a greve dos motoristas de matérias perigosas vai mesmo avançar. 

Pardal Henriques culpabilizou a ANTRAM e o Governo pelas "pequenas filas" já sentidas, durante a tarde de quinta-feira, aos postos de combustíveis. Durante o seu discurso, mencionou que os motoristas recebem maus ordenados, comparativamente aos colegas de profissão europeus e que são obrigados a cumprir "horários de trabalho duros". 

Durante a conferência, o porta-voz do sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas criticou a atitude do Governo e defende que os serviços mínimos impostos "são uma violação do direito à greve". Pardal Henriques diz que "os trabalhadores ficaram mais pobres, o mundo laboral ficou mais pobre" e sublinhou que  "o que aconteceu a estes motoristas pode acontecer a todos os portugueses". 

O advogado do sindicato volta a recordar os portugueses que os motoristas recebem um ordenado "muito perto do salário mínimo" e que não permite os trabalhadores "viver com dignidade".