Sociedade

Governo aceita proposta do sindicato de matérias perigosas e vai nomear mediador

Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas pediu esta quinta-feira ao Governo para nomear mediador. Tutela tem prazo de dez dias

O pedido feito esta quinta-feira pelo Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) ao Governo para nomear um mediador para a negociação com os patrões foi aceite pela tutela. O Governo tem agora o prazo de dez dias para eleger o mediador. 

O SNMMP desafiou os patrões para uma reunião esta terça-feira na Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT). A Antram não aceitou e o sindicato acabou por pedir ao Governo que seja agora o mediador nas negociações para chegar ao entendimento. 

Os representantes dos motoristas de matérias perigosas querem agora uma "mediação com outros moldes", disse Francisco São Bento, presidente do SNMMP aos jornalistas. "Cabe agora ao Governo tentar colocar-se à mesa de negociações com a Antram". De acordo com Francisco São Bento, a mediação será feita "em reuniões bipartidas" com o Governo a ter reuniões em separado com cada uma das partes. 

Ao i, Pedro Pardal Henriques, assessor jurídico do sindicato, esclareceu que "compete agora ao Governo cumprir o seu papel". "A greve mantém-se nos mesmos pressupostos", adiantou. 

Na reunião esteve também presente um novo elemento: Bruno Fialho, da direção do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil. De acordo com o SNMMP, Bruno Fialho foi convidado por ser uma mais-valia na mesa das negociações.