Sociedade

"É na mediação que as coisas se fazem" afirma André Matias de Almeida

André Matias de Almeida acusou o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) de não estar disposto a chegar a acordo com os patrões.

"Deixámos aqui um documento em que abríamos a quase tudo a mediação para podermos negociar. Fomos chamados ao ministério para saber que o sindicato não aceita o processo de mediação. O sindicato recusou mediação e quer impor condições" explicou André Matias de Almeida, da ANTRAM, nesta terça-feira de manhã à saída do Ministério das Infraestruturas, acusando o Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) de não estar disposto a chegar a acordo com os patrões. No entanto, esta noite, o porta-voz da associação patronal transmitiu uma mensagem diferente aos jornalistas: "De manhã estivemos a discutir o âmbito da mediação, creio que podemos vir aqui assinar um acordo para essa mediação, porque a Antram mostrou hoje de manhã que estaria disponível. É na mediação que as coisas se fazem".

Sublinhe-se que, numa resposta enviada à agência Lusa, Matias de Almeida observara que não sabia se na reunião desta noite estaria presente somente o Executivo ou também o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP). Recorde-se que Pedro Pardal Henriques, advogado representante do SNMMP, mostrou-se preocupado por o Governo ter-se reunido com a ANTRAM na ausência do sindicato, porém, daria "o benefício da dúvida".