Desporto

Sérgio Conceição. "Nakajima? O futebol faz parte da vida, mas não é a vida"

O avançado japonês viajou para o seu país para assistir ao nascimento da filha e irá falhar o clássico da Luz

Shoya Nakajima será o grande ausente no clássico deste sábado na Luz, a opor o Benfica ao FC Porto. A revelação foi feita na antevisão do encontro pelo próprio treinador dos dragões. "O futebol é algo muito importante na nossa vida, mas o futebol faz parte da vida, não é a vida. Há coisas mais importantes. Daí que tenha havido a autorização para o Nakjima viajar nesta altura importante da sua vida", realçou Sérgio Conceição.

O internacional japonês viajou no início da semana para o seu país, de modo a assistir ao nascimento da filha, tendo acabado por se verificar algumas complicações no parto. Por essa razão, Nakajima continua ausente. "Aproveito para lhe dar os parabéns, não de treinador para jogador, mas de pai para pai", acrescentou o treinador portista.

Em relação ao encontro com as águias, Sérgio Conceição considerou o atual plantel do Benfica como "talvez dos melhores nos últimos anos", mas garantiu ainda assim conhecer os pontos mais frágeis dos encarnados, que somam 12 golos marcados e nenhum sofrido em três jogos oficiais. "Não gosto de dar uma de professor, mas não é que o Benfica não cometa erros. Se calhar os adversários é que não foram capazes de explorar essas fragilidades e esses erros que todas as equipas cometem. Não há equipas 100 por centos eficazes durante os 90 e tal minutos de jogo. Olhando para isso, vamos preparar o jogo da melhor forma para aproveitar essas situações para fazer golos e não sofrer porque eu digo sempre que prefiro ganhar por 1-0 do que por 2-1", salientou.

Ljubinko Drulovic, antigo jogador dos dois emblemas e companheiro de equipa de Sérgio Conceição nos dragões, disse há poucos dias acreditar que os adeptos vão "pedir a cabeça" do treinador se o FC Porto perder na Luz. E o técnico portista não deixou o ex-colega sem resposta. "Vi um ex-colega meu, com quem me dava muito bem, e ainda dou, dizer que vão pedir a minha cabeça. Podem levar porque eu dou tudo ao FC Porto: se for a cabeça também, não há problema nenhum, vai a cabeça", disparou, desvalorizando o facto de a equipa ter muitos jogadores em estreia num clássico: "Todos os jogadores têm noção daquilo que são os jogos, daquilo que são estes clássicos em Portugal. Os jogadores que fomos buscar também estão habituados a jogar clássicos por títulos nos clubes e nas seleções. Não há aqui ninguém ingénuo na forma de ver o jogo ou de olhar para o obstáculo que tem na frente. Obviamente que, com uma série de jogadores novos, com tempo e com trabalho, as coisas vão melhorando e vai-se afinando um ou outro pormenor".

Questionado sobre a newsletter semanal do Benfica, onde as águias se queixaram do que consideram ser uma "caça a Rafa", aludindo ao número de faltas cometidas pelos adversários sobre o internacional português, Sérgio Conceição rejeitou a ideia. "O Rafa é um elemento importante na dinâmica ofensiva do Benfica, no ataque rápido e contra-ataque e de acelerar com bola. Pode provocar que o adversário o tente travar e que aconteçam essas faltas. Não sei quantos amarelos e vermelhos eles já acumularam... 19 amarelos e dois vermelhos… Penso que os adversários têm sido bem castigados. Não vejo aqui caça a ninguém", resumiu, dizendo ainda que o FC Porto "não se foca em nenhum jogador em especial": "São 11 contra 11, a preparação do jogo, no plano emocional, físico, técnico e tático é o que importa. Não olhamos para um jogador do Benfica ou dois jogadores. Não estamos focados no Rafa, no Rui Costa, no Mantorras... olhamos para o coletivo, quando tem bola, porque é uma equipa muito dinâmica, que varia muito o jogo, que joga com a profundidade em espaço curto… estamos atentos a isso. Estamos atentos ao que é o Benfica também quando não tem a bola. Quando nós temos a bola é uma situação que o Benfica se sente confortável para contra-atacar com perigo".