Opiniao

Vegans, cães e gatos, planeta, e a terra de Costa

O mundo está confuso e muito agitado, não havendo lugar para o meio termo

O mundo está confuso e muito agitado, não havendo lugar para o meio termo. Parece que tudo de repente passou a ser branco ou preto. Vejamos alguns casos.

 

1. Na Austrália um casal foi condenado a um ano e meio de prisão, revertido em serviço comunitário, por impor ao bebé uma dieta vegetariana que fez com que aos 19 meses lhe caíssem os dentes, além de outros problemas físicos. A alimentação do bebé passava por um dieta rigorosa, em que comia ao pequeno-almoço um copo de aveia com leite de arroz; ao almoço uma torrada com marmelada ou manteiga de amendoim; ao jantar a ementa consistia em tofu com arroz ou batata. O fundamentalismo dá nisto, e os pais vegetarianos ficaram sem o bebé. Afinal, não é só em Portugal que pais com problemas fazem a vida num inferno às filhas, como no caso das gémeas da Amadora.

 

2. O partido Pessoas-Animais-Natureza, vulgo PAN, defende um Serviço Nacional de Saúde (SNS) para cães e gatos. Ao mesmo tempo, as grávidas portuguesas andam de hospital em hospital para terem os seus filhos, já que algumas urgências ou estão fechadas ou não têm profissionais que cheguem para as encomendas. Noutras urgências, jovens sem qualquer experiência profissional ficam à frente do serviço porque não há seniores suficientes. Mas para o PAN um SNS para cães e gatos é que faz falta. O mundo ao contrário.

 

3. Na Amazónia os incêndios devastam um dos pulmões da Terra, mas as fotos que o Presidente francês, Madonna, Cristiano Ronaldo ou Giselle Bündchen, entre outros, publicam como gesto de solidariedade, nada têm a ver com os incêndios que lavram atualmente. Ou têm anos ou são de outros lugares. As agências de fotografia internacionais ainda não chegaram ao local, já que o mesmo é de muito difícil acesso. E qual a razão para ainda não se ter feito uma coligação internacional para tentar combater os incêndios que lavram em vários países, além do Brasil? O problema será só de Bolsonaro? A Amazónia é ou não é fundamental para o planeta?

 

4. Um miúdo de 19 anos é brutalmente assassinado quando trabalhava à porta da discoteca Lick, antiga Kadoc, em Vilamoura. Um cliente enfurecido porque não entrou, sacou de uma arma de guerra e disparou em frente, tendo morto o jovem que não era porteiro. Horas antes do incidente, em qualquer supermercado de Lisboa, e não só, havia polícias gratificados a zelarem pelos produtos das lojas. Quais são essas zonas? Não é difícil de imaginar, mas não se pode dizer porque é xenofobia. Se há gratificados em supermercados porque não pode haver em discotecas? Mas no tempo em que estamos, fecham-se esquadras no Porto à noite e ninguém diz nada. Não há agentes que cheguem, dizem. Pois...

 

5. Um dos mais prestigiados sociólogos portugueses, António Barreto, escreve no Público: «Estamos a viver tempos difíceis para a democracia e para as liberdades, designadamente a liberdade de expressão. O PS está a perder gradualmente a sua tradição liberal, a sua veia tolerante e a sua marca democrática que parecia inamovível».

 

6. António Costa, que gosta muito de pareceres, pediu um ao Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República para saber se há incompatibilidades nos negócios familiares de três ministros e um secretário de Estado com entidades públicas. Mas, entretanto, já avisou ao Expresso: «Vou analisar o parecer e, se concordar homologo, se não concordar não homologo». Parabéns, senhor primeiro-ministro. A democracia é isso mesmo, quero, posso e mando. Já que quer acabar com o direito à greve também pode acabar com os pareceres da PGR.