Politica

Tribunal da Comarca de Portalegre rejeita lista da Iniciativa Liberal por excesso de mulheres

"Não iremos deixar de dar aos eleitores de Portalegre a possibilidade de votar na Iniciativa Liberal apenas por discordarmos da lei" adiantou Guimarães Pinto.

"O Tribunal da Comarca de Portalegre exigiu que o partido Iniciativa Liberal substituísse algumas das mulheres da sua lista por homens de forma a cumprir a lei das quotas" pode ler-se no comunicado enviado às redações pelo Iniciativa Liberal (IL), na tarde desta terça-feira, partido encabeçado por Carlos Guimarães Pinto. No entanto, o partido avançou que procederá à substituição de duas mulheres na lista para garantir que pode concorrer pelos 22 círculos naquelas que são as suas primeiras eleições legislativas. 

"Apesar de não concordarmos com a lei, iremos substituir duas mulheres na lista por dois homens. Não iremos deixar de dar aos eleitores de Portalegre a possibilidade de votar na Iniciativa Liberal apenas por discordarmos da lei" adiantou Guimarães Pinto, sendo que no texto anteriormente referido é igualmente possível ler que o IL "irá apresentar listas em todos os círculos, mostrando-se como um verdadeiro partido nacional".

Recorde-se que, em março do ano passado, a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, decidiu que seria realizada uma das "alterações mais importantes": o aumento do limiar de representação mínima de cada género, de 33% para 40%, nas listas a apresentar para o Parlamento Europeu, para a Assembleia da República, para as câmaras e assembleias municipais, assembleias de freguesia e para os vogais das juntas de freguesia.

Como bandeira primordial, o IL apresenta a "defesa do indivíduo" e acrescenta que "desde a sua fundação, aceite pelo Tribunal Constitucional a 13 de Dezembro de 2017, que se apresenta na defesa das ideias liberais e da consolidação das mesmas a nível nacional".