Vida

Margarida Aranha fala sobre fim de namoro com homem 40 anos mais velho | VÍDEO

“Tudo o que ele me comprou está com ele, não trouxe nada do que ele me deu. Não lhe extorqui nada” rematou, acrescentando que está a ser perseguida por Kant.

Após ter sido abordada na imprensa checa, pelo ex-namorado 40 anos mais velho, Margarida Aranha - de 26 anos e ex-concorrente do programa 'Love On Top', da TVI - decidiu reagir publicamente ao fim do noivado com o empresário Milos Kant, de 65, e às acusações que lhe foram feitas. “Eu e o senhor Milos tínhamos um acordo. Acordo esse que envolvia a minha companhia, não envolvia sexo” começou por esclarecer a jovem num vídeo com a duração de quase cinco minutos que a figura pública publicou no Instagram, eliminou posteriormente mas a que o SOL teve acesso. De seguida, Aranha explicou que aquele que é um dos proprietários da discoteca Princess The Club, na Suíça, a ajudava com "despesas" e "contas pessoais". Naquilo que diz respeito ao fim do acordo, a rapariga disse que foi ameaçada, pelo ex-noivo, na medida em que estava ficou indignado quando percebeu que tinha tido relações sexuais com outras pessoas no decorrer do reality show da estação de Queluz de Baixo: “Ameaçou-me, foi agressivo” contou, revelando que só conseguiu fugir porque pediu ajuda a um familiar.

“Tudo o que ele me comprou está com ele, não trouxe nada do que ele me deu. Não lhe extorqui nada” rematou, acrescentando que está a ser perseguida por Kant: "Já falei com a polícia, isto vai ser resolvido a bem ou a mal. Um velho rebarbado, maluco. Aquilo não levantava, mas ele falava de sexo a toda a hora” avançou, retratando o antigo companheiro. Adiantando que está a viver um pesadelo, Aranha deixou claro que aprendeu uma lição: “Nunca mais por dinheiro nenhum na vida vou fazer a mesma coisa. Isto para mim foi a maior vergonha da minha vida, foi a maior vergonha para a minha família". 

A jovem, que foi pedida em casamento em plena passadeira vermelha do Festival de Cinema de Cannes, afirmou que não pretendia falar da vida privada mas viu-se obrigada a fazê-lo: "Visto que terceiras pessoas estão a ser prejudicadas com esta situação eu vou ter de falar. Tive uma inflamação no olho, sim. Tive de ir ao hospital. Foi uma inflamação que não passou” disse, adicionando que não foi agredida por Kant: "Queria encerrar este assunto porque eu estou na minha vida e a pessoa está na vida dela”, referiu.