Economia

CTT confirmam saída de Dionizia Ferreira

Correios confirmam assim a notícia avançada pelo i na passada quinta-feira.

Os CTT anunciaram esta terça-feira que Dionizia Ferreira formalizou a sua renúncia ao cargo de vogal do conselho de administração e da comissão executiva, confirmando assim a notícia avançada pelo i na semana passada.

A saída tem efeitos a partir do próximo dia 18 e Dionizia Ferreira vai ser substituída no cargo por João Ventura Sousa, para completar o mandato 2017/19.

Esta é a quarta saída em menos de quatro meses, não terminando assim o seu mandato, que chegaria ao fim no dia 31 de dezembro.

O i sabe que esta nova baixa está relacionada com o esvaziamento de funções de que tem sido alvo nos últimos meses - uma questão que ganhou maiores contornos depois de Francisco Lacerda ter abandonado a liderança dos CTT, já que Dionizia Ferreira era uma das suas pessoas de confiança. Mas não só. Estará igualmente relacionada com os prejuízos registados pela Tourline - empresa sediada em Espanha e especializada no serviço de transporte de correio urgente e que estava sob a sua responsabilidade - na sequência da perda de grandes clientes face à qualidade do serviço.

O i sabe que os resultados obtidos obrigaram à entrada de uma nova equipa de gestão local experiente e que, de acordo com o relatório de gestão do primeiro semestre do ano, tem “mandato para apostar no crescimento orgânico, com ênfase na implementação de medidas de eficiência operacional na rede própria e na maximização do valor mobilizável através do modelo de franchisados”, remetendo para mais detalhes durante a apresentação de resultados do terceiro trimestre.

Contactada pelo i na semana passada, fonte oficial da empresa dizia apenas que “não foi apresentada nenhuma renúncia a nenhum cargo de administração nem houve deliberação alguma sobre a saída de qualquer administrador”.

A entrada de Dionizia Ferreira na administração ocorreu em agosto de 2012 pelas mãos do antigo CEO da empresa, depois de uma passagem pelo setor financeiro. No entanto, a sua estreia nos CTT aconteceu em 2003, sob a liderança de Rui Horta e Costa,  desempenhando funções de diretora comercial e de marketing, tendo sido responsável pelo marketing operacional e estratégico da rede de retalho, PME e grandes contas até 2007.

Recorde-se que Francisco de Lacerda decidiu renunciar ao cargo em maio deste ano, “por entender ser do interesse da sociedade proceder a uma transição da liderança da equipa executiva dos CTT nesta fase, em que se encontram consolidados os três pilares críticos da estratégia aprovada para o mandato 2017/19”. O lugar foi ocupado por João Bento, até aí administrador não executivo da empresa - uma escolha do maior acionista dos Correios, Manuel Champalimaud, presidente da Gestmin.