Sociedade

Hospital de Faro. Avaria no ar condicionado fecha parte do bloco operatório central

Uma avaria no sistema de refrigeração tem condicionado a atividade no bloco operatório central do Hospital de Faro desde a semana passada.

DR  

Várias salas do bloco operatório central (BOC) do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), em Faro, estão fechadas desde quinta-feira devido “a uma avaria no sistema de ar condicionado”. O i sabe que os problemas poderão não ficar resolvidos hoje. 

O deputado do PSD Cristóvão Norte disse ontem que esta avaria levou já ao “cancelamento de mais de uma centena de cirurgias” e que “quando a notícia foi pública, na última semana, foram prontas as garantias de que tudo estaria resolvido no próprio dia, coisa que não aconteceu, com graves prejuízos para os doentes”. Contactado ontem, Hospital de Faro desmentiu o deputado.

Em declarações ao i, fonte oficial CHUA confirmou o motivo do condicionamento do bloco operatório central: “Houve uma avaria no sistema de ar condicionado. Na quinta-feira foi passível recuperar duas dessas salas, onde se realizou atividades. Para além disso, contávamos com o apoio de outras duas salas no edifício paralelo, no bloco de cirurgia de ambulatório, o que serviu de apoio a toda a atividade.”

A mesma fonte garantiu ainda que “toda a atividade urgente e emergente foi realizada, bem como algumas cirurgias programadas que não foram reagendadas”. “Outras cirurgias menos urgentes foram reagendadas para uma data oportuna. Todas as cirurgias reagendadas eram passíveis de o ser”, acrescentou.

O hospital confirmou ainda ao i que o novo equipamento chegava ontem e que estavam “a ser reunidas as condições para a sua instalação”. A unidade hospitalar espera, por isso, que a situação esteja resolvida “ao final do dia de quarta-feira [hoje], mais tardar na quinta-feira” e destaca que “toda esta atividade de instalação do novo equipamento foi reprogramada com o apoio das salas em questão.”

A “temperatura existente no BOC” e a “falência das soluções técnicas provisórias que foram tentadas”,  terá levado a que cinco das salas do bloco operatório central fossem desativadas 

Em nota pública, Cristóvão Norte havia dito que “o bloco central de cirurgia do Hospital de Faro” se encontrava “encerrado desde quarta-feira passada”, o que implicou “o cancelamento de mais de uma centena de cirurgias, nas seis salas que estão encerradas”. O deputado afirmou ainda que houve “inclusive doentes oncológicos que viram as suas cirurgias adiadas e sem data prevista para a realização.”

Cristóvão Norte deixou ainda farpas ao Governo, que, segundo este, “nada faz”, adiantando que “a gravidade dos acontecimentos não os comove nem os estimula a agir”. “Em 2016, o Governo anunciou um pacote de 19 milhões para o CHUA e realizou 6, não realizando a substituição de equipamentos de diagnóstico, nem também a manutenção de equipamentos de apoio, como este que se avariou agora e faz parar a cirurgia. Nunca se registou tão pouco investimento na saúde no Algarve”, concluiu.

Num comunicado enviado às redações, o CHUA diz “lamentar que [...] Cristóvão Norte não tenha questionado previamente o Conselho de Administração, no sentido de se inteirar e informar sobre a toda a situação antes de proceder ao envio de um comunicado aos órgãos de comunicação social com informações que não correspondem à verdade dos factos.”