Sociedade

Reclusos de Vale de Judeus recusam comer depois de incidente com guardas prisionais

Prisioneiro não acatou ordens de encerramento e guardas recorreram a meios coercivos

Um grupo de reclusos do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, em Alcoentre, recusou-se esta quarta-feira de manhã, a tomar o pequeno-almoço, em protesto contra um incidente entre um prisioneiro e guardas prisionais, que terão recorrido a "meios coercivos".

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) adiantou, à agência Lusa, que o episódio ocorreu ao final do dia de terça-feira, quando um recluso "resistiu à ordem de encerramento, tendo insultado e ameaçado os elementos da guarda prisional presentes".

Na sequência, o prisioneiro foi mandado para uma cela de separação, onde ficaria enquanto estivesse a decorrer o processo disciplinar sobre si.

"Mais uma vez, o recluso resistiu ao cumprimento das ordens e tentou agredir um elemento da guarda prisional, tendo sido necessária a utilização de meios coercivos", explicou ainda a DGRSP, negando, no entanto, que tenha havido "qualquer espancamento".

O prisioneiro foi observado nos serviços clínicos da prisão, tal como é previsto sempre que haja recurso a meios coercivos, tendo-lhe sido identificado "um ligeiro hematoma na perna direita".

"Na sequência desta ocorrência, esta manhã, os reclusos do pavilhão D, pacificamente, não tomaram o pequeno almoço, exigindo ir visitar o recluso que se encontra em cela de separação", confirmou a DGRSP. Os reclusos dos outros três pavilhões do estabelecimento prisional tomaram o pequeno-almoço normalmente, sublinhou ainda.