Internacional

Tribunal decide a favor de galo que já pode voltar a cantar

O galo tornou-se também um símbolo da resistência rural em França.

 O galo Maurice tornou-se conhecido em França depois de ter sido alvo de uma queixa de vizinhos porque “cantava muito alto e cedo”. Esta quinta-feira, o Tribunal ficou do lado do animal e decidiu que este vai poder continuar a cantar.

"Maurice venceu e os queixosos terão que pagar mil euros à proprietária por danos morais", declarou Julien Papineau, advogado da proprietária Corinne Fesseau ao deixar o Tribunal de Rochefort.

Além de considerar que o animal vive num meio rural, o Tribunal de Rochefort considerou ainda que os queixosos não apresentaram provas suficientes do barulho excessivo do animal.

“Os galinheiros sempre existiram. Entre 40 vizinhos, incomoda apenas dois. O campo tem direito aos seus ruídos. O galo tem o direito de cantar", disse Corinne Fesseau, que viu o seu nome espalhado pela imprensa de todo o mundo depois de apresentada queixa contra o seu animal.

A queixa foi apresentada por dois vizinhos cuja sala fica a quatro metros do galinheiro onde vive Maurice. O casal, que habitava aquela casa apenas durante o verão, exigia que o galo deixasse de cantar e pedia uma indemnização de 150 euros por dia à sua dona.

O galo tornou-se também um símbolo da resistência rural em França, depois de uma petição para o salvar recolher mais de 140 mil assinaturas.