Sociedade

Valongo. "O helicóptero ficou completamente tomado pelas chamas"

Helicóptero combatia incêndio

Bruno Fonseca, Comandante dos Bombeiros de Valongo, revelou que o helicóptero de combate a incêndios que caiu, esta quinta-feira, em Sobrado, Valongo, provocando a morte do piloto, o único ocupante da aeronave, “ficou totalmente tomado pelas chamas”.

A vítima, Noel Ferreira, de 36 anos, era piloto da Força Aérea, mas também Comandante dos Bombeiros da Cete.

"O helicóptero ficou completamente tomado pelas chamas. Agora, poderá ter sido pelo desenvolvimento do incêndio como poderá ter sido no momento da queda ter criado uma nova ignição", disse Bruno Fonseca.

"Hoje é um dia muito triste para os Bombeiros portugueses. Lamentamos a morte do Comandante  Noel Ferreira, dos Bombeiros Voluntários de Cete neste fatídico incêndio", acrescentou.

O responsável adiantou ainda que a aeronave já foi localizada e que tem há a certeza de que “há uma vítima mortal”.

“Agora aguardamos as equipas competentes para fazerem a investigação deste acidente", informou, acrescentando que não tem informações sobre como ocorreu o acidente. "Foi-me referenciado que provavelmente poderia ter acontecido essa situação [choque com cabos de alta tensão]”, admitiu.

O helicóptero estava a fazer o combate às chamas naquela zona, acompanhado por uma brigada que havia desembarcado minutos antes do acidente.

"[Era] um comandante com muita experiência e muito humilde. Fiz recruta com ele na Força Aérea em 1998 e lamento profundamente, enviando as minhas condolências", afirmou.

Bruno Fonseca avançou ainda que o incêndio está em fase de rescaldo.

"Sabemos que o vento o poderá criar durante o período noturno e irão ficar equipas no terreno para evitar estas situações", rematou.