Sociedade

Fogos em Viseu dão sinais de abrandamento depois de uma tarde de combate intenso

Incêndios começaram às 3h desta madrugada

Portugal está em situação de alerta até ao final do dia de terça-feira por determinação do Governo e hoje foram vários os incêndios de norte a sul, com Viseu a ser o distrito mais castigado. Na madrugada de domingo, perto das 3h, deflagraram vários incêndios naquele distrito, mais concretamente em Castro Daire, com pouca distância entre eles - tendo dois ganhado grandes proporções e dado muito trabalho às autoridades. Ao final do dia de hoje, o site da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil dava conta de que nos 72 incêndios que lavravam a nível nacional estavam empenhados 2395 homens, apoiados por 671 viaturas e 24 meios aéreos.

No combate aos oito incêndios do distrito de Viseu estavam, às 19h30, 800 operacionais, 220 viaturas e nove meios aéreos. Após uma tarde em que as chamas não deram tréguas - sobretudo os dois incêndios de Castro Daire -, ao final do dia, a evolução era positiva, havendo mesmo um dos incêndios de Moledo/Castro Daire a ser dado como dominado. 

Aveiro foi o segundo distrito mais fustigado e, ao final do dia, perto de 400 homens combatiam as chamas, apoiados por três meios aéreos. Foi ainda necessário recorrer a meios aéreos em incêndios nos distritos de Santarém, Porto, Beja e Braga. 

Na última sexta-feira, o ministro da Administração Interna e o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural decidiram prolongar a declaração de situação de alerta - que inicialmente terminava às 23h59 deste domingo - até ao final do dia de terça-feira. A decisão baseava-se nas informações do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, que dava conta de um “agravamento das condições meteorológicas para a globalidade do território do Continente”