Internacional

Menino de 13 anos descobre carro submerso e ajuda polícia a resolver caso com 27 anos

Curioso e confuso, o jovem decidiu mergulhar no rio, juntamente com a sua GoPro, e averiguar melhor a situação. Através das imagens capturadas, a polícia pôde confirmar a existência de um veículo e, passados três dias, quando se deslocaram ao local, não ficaram só surpresos com a existência de um Honda mas também com a presença de um cadáver dentro de um carro.

 Max Werenka, um rapaz de 13 anos, ajudou a polícia de Revelstoke, no Canadá, a resolver um caso com mais de 25 anos, com o apoio da sua GoPro. 

Ao olhar para a água do lago Griffin, o menor percebeu que um objeto de grandes dimensões se encontrava nas suas profundezas e que o sol estava a refletir partes de um carro que se encontrava submerso. Depois de terem investigado na internet acidentes ocorridos na zona, a família do jovem Max Werenka acreditava que o carro estava relacionado com um acidente que ocorreu na área em 2009, no entanto, ao falarem com um agente, perceberam que esse carro tinha sido resgatado na altura. 

Curioso e confuso, Max Werenka decidiu mergulhar no rio, juntamente com a sua GoPro e averiguar melhor a situação. Através das imagens capturadas, a polícia pôde confirmar a existência de um veículo e, passados três dias, quando se deslocaram ao local, não ficaram só surpresos com a existência de um Honda mas também com a presença de um cadáver dentro de um carro.

Depois de fazerem análises e ao obterem a placa do carro, rapidamente conseguiram identificar o corpo encontrado: Janet Farris, uma mulher de 69 anos de Vancouver que desapareceu no outono de 1992. A mulher estava a conduzir em direção a Alberta, para comparecer num casamento. As autoridades concluiram que a morte de Farris foi acidental. 

O filho da vítima, George Farris, confessou estar aliviado com a descoberta. "Penso que o pior era não saber de nada. De certa forma, assumimos que ela tinha saído da estrada ou que tinha adormecido ao volante, ou até que tinha tido um acidente a evitar um animal na estrada", declarou à CNN. 

Erin Farris-Hartley, a neta de Janet Farris diz que, apesar de lamentar a situação, a descoberta de Werenka trouxe "paz à família". 

A mãe de Maz Werenka diz estar muito orgulhosa da 'investigação' do filho. "Ele tem apenas 13 anos, mas é muito maduro", afirmou.

As autoridades também elogiaram o menor e dizem que este parece ter talento para, quem sabe, um dia, ser um investigador. "Estamos a olhar para ele como uma pessoa que pode vir a ter um emprego ao nosso lado", disse Thomas Blakney à CTV News. "Foi um bom trabalho de detetive da parte dele."