Economia

Zona euro. BCE revê em baixa crescimento económico

Dados apresentados por Mario Draghi

O Banco Central Europeu (BCE) reviu em baixa as previsões de crescimento da zona euro em 2019 para 1,1%, 0,1 pontos percentuais do que tinha sido estimado em junho.

Em conferência de imprensa, que se realizou esta quinta-feira m Frankfurt, Mario Draghi referiu também que a inflação chegará este ano aos 1,2%, um valor mais baixo do que aquele estimado em junho (1,3%).

Quanto ao ano de 2020, o líder do BCE explica que o banco central reviu em baixa o crescimento económico para 1,2%, menos 0,2 pontos percentuais do que a previsão feita em junho. Para o ano de 2021, a estimativa manteve-se nos 1,4%.

Em relação à inflação para 2020 e 2021, as estimativas do BCE são de 1% e 1,5% respetivamente – em junho, as previsões eram de 1,4% para 2020 e 1,6% para 2021.

Mario Draghi considera que estes valores mostram "uma debilidade mais prolongada da economia da zona euro". "Isto reflete-se nas novas projeções da equipa do BCE, que mostram uma descida nas previsões da inflação", acrescentou p líder da instituição bancária, citado pela AFP.

Draghi que deixará a liderança do BCE e será substituído por Christine Lagarde a partir de 1 de novembro, explicou ainda que a probabilidade de existir uma recessão continua a ser “baixa”, apesar de o risco ter aumentado.