Internacional

Huawei oferece-se para vender conhecimento 5G

A proposta pretende diminuir as suspeitas dos EUA de que o gigante tecnológico chinês é uma fachada para as secretas de Pequim, de modo a voltar a ter acesso ao mercado norte-americano.

O diretor executivo da Huawei, Ren Zhengfei, propôs vender conhecimento e tecnologia 5G a empresas ocidentais, para diminuir as suspeitas dos Estados Unidos quanto ao possível uso do gigante tecnológico chinês como fachada de Pequim. A proposta de Zhengfei, feita em entrevista ao The Economist e ao The New York Times, inclui dar a outras empresas acesso às patentes, código informático, esquemas técnicos e conhecimento de produção 5G da Huawei. "Isto criaria uma situação equilibrada entre a China, os EUA e a Europa", explicou o diretor executivo.

Além disso, a cooperação com empresas de outros países diminuiria a especulação sobre possíveis backdoors - ou pontos de acesso ocultos - deixados pela Huawei, para facilitar a infiltração das secretas de Pequim em redes 5G, consideradas a rede do futuro, por onde boa parte da informação de todo o mundo poderá começar a passar. As preocupações quanto ao assunto levaram até o Executivo de Donald Trump a impedir gigantes tecnológicos como a Google a cooperar com a Huawei. "Uma distribuição de interesses equilibrada é favorável à sobrevivência da Huawei", salientou Zhengfei 

Hoje em dia, as empresas europeias Nokia e Ericsson são as principais alternativas à Huawei no que toca à contrução de redes 5G. Apesar de algumas empresas norte-americanas trabalharem na área - como a Dell, Cisco ou Hewlett Packard - a sua capacidade na construção de infraestruturas está muito atrás da Huawei. Algo que não é alheio à atual guerra comercial em curso entre a China e os Estados Unidos.