Sociedade

26.ª vítima mortal de violência doméstica homenageada em Braga

Gabriela Monteiro é a vigésima sexta vítima mortal de violência doméstica, este ano, em Portugal

O Theatro Circo homenageia na noite desta quinta-feira, em Braga, a sua colaboradora Gabriela Monteiro, a 26ª vítima mortal de violência doméstica este ano em Portugal. A mulher foi assassinada à facada pelo marido, na cidade de Braga.

“Convidamos a cidade a juntar-se a nós, vestindo de branco e trazendo consigo uma flor”, apelou o diretor artístico daquela sala de espetáculos da capital do Minho, Paulo Brandão.

Gabriela Monteiro é a vigésima sexta vítima mortal de violência doméstica, este ano, em Portugal e na lista, segundo a Procuradoria Geral de República, constam 20 vítimas do sexo feminino e seis do sexo masculino, tratando-se num total de 25 adultos e de uma criança.

O Theatro Circo, em Braga, cuja Companhia de Teatro de Braga tinha previsto para esta noite a última exibição da peça A Criatura, vai encerrar hoje as portas e fazer uma vigília pela morte da funcionária. “Um gesto que pretende ser também um grito de alerta contra a violência doméstica”, defendeu o diretor artístico da sala de espetáculos, Paulo Brandão.

Segundo Paulo Brandão, a vítima “era parte da equipa, da família do Theatro Circo, desde 2010 e deixa na memória dos colegas uma profunda bondade, a simpatia e o sorriso fácil, a prontidão em ajudar em todas as situações, mesmo em momentos de adversidade”, pelo que a sua morte deixou chocados todos os trabalhadores.

Ainda a propósito do assassínio de Gabriela Monteiro, de 46 anos, Paulo Brandão referiu que o "Theatro Circo conta com 17 mulheres na equipa para fazerem do espaço um lugar de fruição de arte, de cultura, de harmonia" e, por isso, "não pode deixar de repudiar profundamente este ato de violência que tirou a vida a uma das pessoas que contribuía diariamente" para aquela casa.