Politica

Assunção Cristas ataca falhanços do Governo na saúde

Líder do CDS esteve em Benfica para alertar contra promessas por cumprir, falta de pessoal e de médicos.

A líder do CDS, Assunção Cristas, aproveitou o segundo dia oficial de campanha para as legislativas para passar em revista o estado da saúde. Para o efeito, esteve mais de uma hora na Unidade de Saúde Familiar Gerações, em Benfica, Lisboa, e levou a lição bem estudada. “Este governo falhou e incumpriu as promessas que fez no âmbito dos cuidados de saúde primários, nomeadamente na cobertura de médicos de família para todos os portugueses, nas Unidades de Saúde Familiar e aqui, concretamente em Lisboa, naquilo que seriam os novos centros de saúde fora dos edifícios de habitação”, afirmou Assunção Cristas, citada pela Lusa.

Antes das declarações aos jornalistas, Cristas visitou o espaço, entre corredores exíguos para a entourage de campanha centrista e, apontou a primeira falha do Executivo na lista de promessas: a de colocar um ponto final de centros de saúde em prédios de habitação. Em causa estava a ideia de construir catorze novos centros de Saúde, com a conclusão de obras algures em 2020.

“Pergunto-me onde estão eles porque não há um único que tenha a construção iniciada”, argumentou Cristas, citada pela RTP. A unidade de saúde familiar em causa faria parte desse plano, por isso os centristas realizaram ontem a visita.

A presidente centrista fez-se acompanhar dos candidatos a deputados por Lisboa – Ana Rita Bessa, Isabel Galriça Neto, e João Gonçalves Pereira, (diretor de campanha) numa visita em que Assunção Cristas também conversou com utentes e aproveitou para falar a uma mãe que esperava na sala com bebé de poucos meses para uma consulta. A líder centrista sugeriu-lhe que aproveitasse este período ao máximo porque os primeiros meses de maternidade passam a correr .

Depois, voltou à carga contra o Governo para alertar contra a falta de contratação pessoal para aquele centro, impossibilitando o alargamento do horário até às 20 horas ou uma outra promessa falhada para o CDS: a de médicos de família para todos os portugueses. “Neste momento há 700 mil sem médicos de família”, atirou a líder do CDS.