Sociedade

Material de guerra: Tudo o que afinal foi roubado em Tancos

Acusação revela que material era de alta, baixa e nenhuma perigosidade.

A acusação do Departamento Central de Investigação e Ação Penal, a que o i teve acesso, revela que o material furtado em junho de 2017 tinha um valor de 34.962,26 €. Os assaltantes, liderados po João Paulino, foram até ao Paióis Nacionais de Tancos na madrugada de 28 de junho e estiveram mais de duas horas a transportar o material entre os paióis 14 e 15 até à carrinha que levavam.

Os sete homens saíram depois às 4 da manhã e foram depositar todo o material a Tomar a um terreno propriedade da avó de Paulino. O MP concluiu que o material militar subtraído pode ser “classificado em três grupos quanto ao grau de perigosidade: de alta, baixa ou nenhuma perigosidade”.

 

Lista total do material furtado naquela noite:

 

Do paiol nº 14:

-1450 Munições de 9mm.

-22 Bobines de tropeçar.

-1 Disparador de descompressão.

- 24 Disparadores de tração lateral multidimensional inerte, do compartimento A.

-6 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CS/MOD M7.

-10 Granadas de mão de gás lacrimogéneo CM Antimotim – M/968.

-2 Granadas de mão de gás lacrimogéneo Triplex CS.

 

Do paiol nº 15:

- 44 granadas foguete anticarro, 66mm, com espoleta M412A1, com lançador M72A3 – M/986 LAW.

- 264 Velas PE4A.

- 30 CCD10 (Carga de corte).

- 57 CCD20 (Carga de corte).

-15 CCD30 (Carga de Corte).

- 30,5 Lâminas KSL. (Lâmina explosiva).

- 60 Iniciadores IKS.

- 90 Granadas de mão ofensivas M321.

- 30 Granadas de mão ofensivas M962.

- 30 Granadas de mão ofensivas M321 (em corte-para instrução).